Ao Vivo

estadao

MTST faz novo protesto em São Paulo nesta terça-feira

Após ocupar mais um terreno na capital e ameaçar invadir uma área nova por semana, o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) promete levar 10 mil pessoas nesta terça-feira, 24, à Câmara Municipal.

Mais uma vez, o protesto tem por objetivo pressionar os vereadores a votar o novo Plano Diretor, que beneficia quatro ocupações do grupo.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 18h55

    24/06/2014

    O líder do MTST, Guilherme Boulos, iniciou há poucos minutos reunião com o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). O encontro ocorre de portas fechadas, sem participação da imprensa. Há a presença de outros integrantes do MTST.

     

    Minutos antes, Boulos reafirmou algumas das demandas da pauta do MTST. Na moradia, o grupo deve pedir mais subsídios para o programa de habitação popular.

     

    No transporte, ele cita a integração do Bilhete Único com ônibus intermunicipais e metrô, além do metrô Jardim Ângela, "promessa antiga do governo". Na segurança, Boulos afirmou que pedirá o retorno da identificação nominal de policiais em manifestações, que há poucas semanas passou a ser feita com números. Para ele, a mudança dificulta o reconhecimento das autoridades em caso de abusos durante os protestos.  

     

    Outra demanda do MTST na reunião é a criação de uma Comissão Estadual para Prevenção de Despejos Forçados. Segundo Boulos, a relação com o governo do Estado tem surtido efeito após sucessivas pressões nas ruas. (Luiz Fernando Toledo - O Estado de S. Paulo

     

     

  • 17h54

    24/06/2014

    Segundo uma das coordenadoras, Jussara Basso, que estava na reunião de negociação com o presidente da Câmara, José Américo, a promessa do presidente é de que a votação do Plano Diretor vai ocorrer na quinta-feira ou, "no mais tardar", na sexta. "Nesse período, vamos permanecer acampados na frente da Câmara até que o Plano Diretor seja votado. Vale apenas lembrar que a maioria da Câmara quer apoiar e garantir o voto de apoio", disse. 

     

    O projeto de lei sobre a "Copa do Povo", na zona leste, vai ser discutido também até o fim da semana. Segundo ela, o presidente da Câmara garantiu que se o projeto de lei não for aprovado ele "vai entrar como emenda ao Plano Diretor". "O que nós ouvimos é que o acordo foi firmado e não vai ser quebrado", disse Jussara. Os manifestantes vão fazer uma assembleia por volta das 21h para organizar os grupos que vão ficar acampados e os que vão retornar para suas ocupações. Os coordenadores pediram para que os manifestantes fiquem no local ate as 21h30. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo)  

     

  • 17h36

    24/06/2014

    Veja galeria de fotos do ato do Movimento dos Trabalhadores Sem-teto em frente à Câmara. 

     

    Tiago Queiroz/Estadão

    Tiago Queiroz/Estadão

    Tiago Queiroz/Estadão

    José Patrício/Estadão

    José Patrício/Estadão

    José Patrício/Estadão

    José Patrício/Estadão

    José Patrício/Estadão

    José Patrício/Estadão

    José Patrício/Estadão

  • 17h30

    24/06/2014

    Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o Viaduto Jacareí está totalmente ocupado pelos manifestantes. 

  • 17h15

    24/06/2014

    Segundo Norma Moreira, uma das coordenadoras do MTST, a estimativa do movimento é de que 9 mil pessoas estejam na manifestação. Já a assessoria da PM diz que o último registro da polícia militar, das 13h30, é de mil pessoas. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo

     

  • 16h45

    24/06/2014

    A pedido dos coordenadores que estão no carro de som, os manifestantes voltam a fazer barulho com as buzinas e tambores porque o grupo que foi negociar com o presidente da Câmara está há meia hora na assembleia aguardando ser atendido, mas nenhum vereador os recebeu ainda. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo)  

  • 16h29

    24/06/2014

     

    Os manifestantes ocupam as duas faixas do Viaduto Jacareí, na frente da Câmara. O clima é de descontração. Há grupos tocando percussão, famílias dançando. Segundo os coordenadores do movimento, o grupo está preparado para acampar na frente da Câmara caso o Plano Diretor não seja votado. Nas barracas, os fogões estão sendo montados e panelas chegaram. Um grupo se prepara para cozinhar os alimentos. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo)  

     

     

    Bárbara Ferreira Santos/Estadão

  • 16h15

    24/06/2014

    Um grupo de manifestantes está na saída lateral da Câmara, para impedir que os vereadores saiam. 

  • 16h13

    24/06/2014

    Alguns vereadores apareceram na janela da Câmara para manifestar apoio ao movimento, como o vereador Marquito. No alto-falante, um dos coordenadores do MTST, Josué Rocha, respondeu aos vereadores. "Alguns vereadores estão aparecendo na janela, mas não adianta mandar 'tchau' e 'beijo' para os manifestantes. O importante é colocar o Plano Diretor para votar." 

     

    Norma Moreira, também do MTST, disse: "é fácil ficar na janelinha dando tchau quando não se sabe o que é passar fome e frio em uma ocupação. É fácil ficar na janelinha e não colocar o plano para votar. Tem que ir lá dentro e garantir que ele seja votado." Os manifestantes também vaiaram por diversos momentos o vereador Police Neto, que, segundo eles, lidera a bancada que impede a votação do plano. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo

     

     

     

    Bárbara Ferreira Santos/Estadão

  • 15h54

    24/06/2014

    Segundo Boulos, além da votação do Plano Diretor ainda hoje, o movimento pede que sejam incluídas as propostas feitas em discussões pelo MTST. O grupo propõe a mudança de zoneamento das áreas Faixa de Gaza, Dona Deda, Nova Palestina, Capadócia, Copa do Povo e Portal do povo.

     

    De acordo com Boulos, a votação da mudança de zoneamento da Copa do Povo tem que ser feita pelo menos no mesmo período em que seja votado o Plano Diretor. "Pode até ser votada separada, mas tem que ser colocada em votação e aprovada no mesmo período", disse. 

     

    Cerca de 8 integrantes, incluindo Boulos, subiram para o gabinete do presidente da Câmara, José Américo, para conversar com ele. O grupo também reivindicou que mais duas pessoas possam entrar no gabinete.

     

    Os movimentos já começaram a levantar lonas na frente da Câmaras e há vários colchões no local. Os manifestantes estão preparados para ficar em frente à Casa até que o Plano Diretor seja votado. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo

     

     

    Bárbara Ferreira Santos/Estadão

  • 15h39

    24/06/2014

    Entre os grupos de manifestantes estão o MTST, União dos Movimentos de Moradia de São Paulo e Movimento de Moradia Para Todos. Segundo Guilherme Boulos, do MTST, há um carro com lona, colchões e fogão. "Enquanto o plano diretor não for votado, a gente não arreda o pé da Câmara Municipal. Só neste ano viemos protestar pelo menos 6 vezes aqui na frente e eles sempre nos davam uma data. A cada dia que eles atrasarem a votação, uma nova ocupação vai nascer na cidade. Tá virando brincadeira", disse em assembleia.  

     

    "A nossa marcha está aqui de forma tranquila e vai permanecer assim como todas as outras. Queremos ser ouvidos. Nossa reivindicação é que se aprove o Plano Diretor com todas as propostas feitas e discutidas pelo movimento. Em segundo lugar queremos que o projeto de lei feito na semana passada para a mudança do zoneamento da 'Copa do Povo' seja votado com o Plano Diretor", disse Boulos. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo) 

     

  • 15h35

    24/06/2014

    O protesto é pacífico. Cerca de seis policiais fazem a guarda no portão. Pelo menos quatro viaturas da Força Tática entraram na garagem da Câmara e 2 ônibus e 2 viaturas da Tropa de Choque estão na rua da frente desde as 13 horas. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo) 

     

    Bárbara Ferreira Santos/Estadão

  • 15h30

    24/06/2014

    Nos portões da Câmara há cartazes com fotos do vereador, José Police Neto (PSD), com os dizeres "o vereador das empreiteiras". Eles trazem uma lista de quatro empreiteiras que, segundo os manifestantes, financiaram a campanha do vereador. Os manifestantes também trouxeram um boneco do vereador pela primeira vez e dizem que pretendem queimá-lo hoje. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo

     

  • 15h26

    24/06/2014

    Os movimentos pedem a votação do Plano Diretor ainda nesta terça feira. Segundo Nilza Pires dos Santos, uma das coordenadoras do Movimento Sem-terra Leste 1, cerca de 100 pessoas conseguiram senhas para entrar na Câmara e tentar negociar com os vereadores. "Não saímos daqui hoje sem que o Plano Diretor seja votado." (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo) 

  • 15h24

    24/06/2014

    Os movimentos de moradias populares de São Paulo começam a protestar na frente da Câmara de São Paulo. A concentração começou por volta das 13h no local, mas foi com a chegada de um grande grupo do MTST, que vinha da República, no centro, com carro de som  e buzinas, que o protesto efetivamente começou, por volta das 15 horas. (Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.