Quinta-feira, 6 de Junho de 2002, 18:04 | Online

Ramones: ícone do movimento punk

Consagrada como a banda punk que por mais tempo ficou em atividade, Ramones, que surgiu em Nova York em 1974, virou símbolo da juventude revoltada com o mundo

Um dos maiores, e seguramente o mais antigo ícone do movimento punk, o Ramones surgiu em Nova York em 1974. Consagrada como a banda punk que por mais tempo ficou em atividade, Ramones virou símbolo da juventude revoltada com o mundo mas que não sabia muito bem o que fazer com ele. Joey (Jeffrey Hyman), Dee Dee (Douglas Colvin) e Johnny (John Cummings) foram os fundadores da marca que passaram a carregar no sobrenome.

Começou ao contrário do que a fama veio a estabelecer: Joey, o lendário cantor do grupo, morto em abril do ano passado de um linfoma, um tipo de câncer, fez o primeiro ensaio na bateria. Johnny e Dee Dee já pegaram os instrumentos que sempre tocariam: guitarra e baixo, respectivamente. Depois de tentar tocar músicas de bandas que estouravam nas rádios àquela época (The Who, Led Zeppelin etc.), os três Ramones perceberam que suas limitações musicais lhes levariam a um universo mais simples.

“Três acordes e quatro jaquetas de couro”. Essa veio a ser uma das definições usadas para a banda, depois que o quarto Ramone, Tommy (Thomas Erdely), ingressou na banda para livrar Joey da bateria e deixá-lo assumir os vocais. De fato, o repertório inicial dos Ramones repetia o ritmo e as notas em canções próprias como I Don’t Wanna Go Down to the Basement, Judy Is a Punk e Blitzkrieg Bop.

A mesma simplicidade (aliada a uma forte empolgação) estava nas marcas criadas pela banda em seus primeiros shows. Exemplo: gritar “one, two, three, four” logo no início dos shows, segundo a própria banda confessou mais tarde, era uma idéia tirada de I Saw Her Standing There, rock básico que os Beatles gravaram em Please Please Me, seu primeiro disco. Mas para os Ramones, gritar os números virou lenda. Assim como os jeans rasgados e as jaquetas, que sua legião de fãs garante ser uma invenção dos Ramones, e não do Sex Pistols.

As gravações de álbuns começaram em 1976, com Ramones e seguiu quase ininterruptamente até a dissolução da banda, em 1996. O primeiro disco era puro Ramones, ou seja, nenhuma música com mais de 2 minutos e 35 segundos e a menor delas tinha 90 segundos. O disco foi gravado em 18 horas ao custo de US$ 6 mil. O formato autêntico e espontâneo despertou a atenção de pelo menos duas importantes instituições da imprensa americana, que fizeram resenhas favoráveis ao disco, o New York Post e a revista Village Voice.

Tommy Ramone largou a banda em 1977, depois do terceiro disco, Rocket to Russia. No seu lugar, entrou Marc Bell, que virou Marky Ramone. O quarto disco, Road to Ruin, marcou a entrada definitiva dos Ramones no mundo do espetáculo. A banda começou a vender camisetas, adesivos e outros produtos com a marca Ramones. Logo em seguida foram convidados a participar do filme Rock n’ Roll High School, no qual eles aparecem fazendo um show.

Depois de um período de decepção com os próprios discos e problemas de alcoolismo do baterista Marky, os Ramones lançaram quatro ótimos trabalhos: Too Tough to Die (1984), Animal Boy (1986), Halfway to Sanity (1987) e Brain Drain (1989). Ainda em 89, Dee Dee anunciou que estava de saída dos Ramones. Seu novo projeto era se tornar um rapper com o nome de Dee Dee King. Sobre o fato, Joey comentou: “Basicamente, ele enlouqueceu”. Muitos testes depois, Christopher Joseph, ou melhor, C.J. Ramone, entrou na banda para ser baixista.

Os anos 90 chegaram e os Ramones davam sinais de fraqueza. Lançaram duas coletâneas seguidas, All The Stuff and More 1 e 2, e em seguida um disco ao vivo gravado na Espanha, Loco Live. Em 1992, saiu um disco de estúdio com músicas próprias, Mondo Bizarro, e em 94 um novo álbum só de covers, Acid Eaters.

Adios Amigos, de 1995, foi o último disco dos Ramones. Dee Dee assinava várias canções. Em uma delas consta inclusive uma participação sua gravada por telefone: Born to Die in Berlin. Pouco mais que 20 anos de carreira, o título de banda punk que mais tempo ficou em atividade e a consciência de ter levado o estilo de rock divertido, rápido e pesado até o fim, marcaram os Ramones como um dos raros casos de lealdade à própria origem em toda a história do rock.

    Publicidade: