Sábado, 2 de Dezembro de 2006, 17:06 | Online

Ator de

O filme gera polêmica ao mostrar um grupo de jovens norte-americanos em férias no Brasil e que acaba vítima de uma quadrilha de tráfico de órgãos na costa brasileira

O ator norte-americano Josh Duhamel, protagonista do polêmico filme Turistas, pediu desculpas ao governo e aos brasileiros.

A produção totalmente rodada no Brasil mostra um grupo de jovens norte-americanos em férias que acaba vítima de uma quadrilha de tráfico de órgãos em algum lugar da costa brasileira.

O ator elogiou o País durante entrevista na quinta-feira ao The Tonight Show with Jay Leno, talk show da NBC, e afirmou um dia antes da estréia do filme nos Estados Unidos que a obra não pretende fazer com que as pessoas deixem de visitar o Brasil.

Em nota, a presidente da Embratur, Jeanine Pires, afirmou acreditar que o País não deixará de receber estrangeiros por causa do filme. "É uma obra de ficção e acreditamos que o expectador saberá diferenciar a realidade da ficção. A única coisa verdadeira que o filme mostra são as belezas naturais do Brasil."

Mesmo assim, o Ministério do Turismo, por meio da Embratur, já conta desde 10 de novembro com um plano de ações para minimizar os possíveis efeitos negativos do filme à imagem do Brasil. "Por meio de um programa chamado Monitor Brasil, que acompanha o que é publicado sobre o País na imprensa internacional, monitoramos diariamente a repercussão do filme nos Estados Unidos e já estamos trabalhando para reverter eventuais efeitos negativos", explicou Jeanine em nota.

O filme, uma produção da Fox Atomic, divisão dos estúdios Fox Filmed Entertainment com enfoque no público entre 17 e 24 anos, estreou nos Estados Unidos sob duras críticas da imprensa. Uma matéria do New York Times diz que "esses estúpidos do horror" levariam chicotadas na prisão se a estupidez fosse crime.

Já o New York Daily Times pede aos leitores para tomarem cuidado com a armadilha de Turistas e afirma que esta mais nova película de uma lista sem fim de thrillers de jovens em perigo ao menos oferece a "vantagem visual de uma locação exótica e bela". A obra é o primeiro longa-metragem norte-americano totalmente filmado no Brasil.
:

    Publicidade: