Sexta-feira, 26 de Setembro de 2003, 15:10 | Online

Assalto e perseguição cinematográficos na Bahia. Cinco já morreram

Armados com fuzis AR-15, metralhadoras e pistolas automáticas 15 membros de uma quadrilha entraram na agência do Banco do Brasil, em Pilão Arcado, norte da Bahia, atirando, estilhaçando as vidraças. Após os caixas serem limpos, parecia que o assalto terminaria tranqüilamente para os bandidos. Mas. quando deixaram o banco, foram cercados por trinta agentes da PF e 12 PMs.

Iniciou-se um intenso tiroteio que durou uma hora e meia. Cinco pessoas já haviam morrido até a tarde de hoje após o assalto, ontem, que continuou, com a perseguição pela caatinga aos bandidos que conseguiram furar o cerco policial.

A quadrilha liderada pela família Araquan que domina a produção e o tráfico de maconha na fronteira entre a Bahia e Pernambuco, vinha sendo investigada há algum tempo pela Polícia Federal com apoio das polícias civis e militar da Bahia e Pernambuco. Na tarde de ontem o bando chegou em Pilão Arcado num camionete Ford F-4000 e um veículo Gol.

Os primos Cleiton e Walter Araquan tidos como os chefes da quadrilha foram mortos. No entanto, os bandidos conseguiram alvejar com um fuzil AR-15 o policial federal Klaus Henrique Teixeira que, à bordo de um helicóptero da PF, atirava nos assaltantes com uma metralhadora. Teixeira morreu antes de receber socorro médico. O pedreiro Pedro Coelho que trabalhava numa obra de reforma na agência também morreu atingido por uma bala perdida. Várias pessoas saíram feridas no tiroteio entre as quais os policiais Henrique Silveira, Adilton Lima e Orlando Tolentino Júnior. O gerente do BB Marisvaldo Lopes também foi atingido por um tiro de raspão.

Os 12 assaltantes que conseguiram fugir na camionete levaram quatro reféns, libertados na madrugada de ontem (26) sem ferimentos. O bando fugiu em direção ao estado do Piauí, mas teve que abandonar a camionete no caminho pois uma bala furou o tanque de combustível do veículo. Na manhã de hoje cerca de 100 policiais participavam da perseguição e por volta do meio-dia na região de Morro do Sarango houve confronto e um dos fugitivos não identificado foi morto. Estava com um fuzil, duas pistolas e um saco com parte do dinheiro roubado.

De acordo com informações de policiais que falaram com o grupo que persegue os assaltantes, uma parte dos bandidos se escondeu num ponto de difícil acesso e boa visão de tiro. Como eles estão com armas que podem atingir alvos a uma distância de quase um quilômetro, os policiais estão tendo dificuldades para se aproximar.


:

    Publicidade: