Sexta-feira, 21 de Novembro de 2003, 21:57 | Online

Grupo de Edivaldo Santiago sofre 14 novas denúncias

O ex-presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de São Paulo, Edivaldo Santiago e outros quatro sindicalistas foram
chamados a prestar depoimento na Polícia Federal, no próximo dia 3. O motivo seria o aparecimento de 14 novas denúncias contra o grupo, que já esteve preso por algum tempo, acusado de participação num esquema de fraudes e propinas contra o setor de transportes.


Os mesmo sindicalistas prestaram depoimento ao juiz Toru Yamamoto, da 3ª Vara Criminal, respondendo às acusações feitas pelos também sindicalistas Odair Henrique da Silva e Adalberto Florentino. Os dois afirmaram que foram ameçadas de morte por pessoas ligadas ao grupo de Santiago, às vesperas da eleição para a presidência da entidade, no último dia 10.


Por causa dessas denúncias o Ministério Público chegou a pedir novamente a decretação da prisão preventiva dos acusados, mas Yamamoto negou o pedido. O depoimento serviu para que o juiz colhesse mais informações sobre o caso. Os sindicalistas negaram todas as acusações e disseram ser vítimas de uma armação política.
:

    Publicidade: