Presidente de sindicato dos perueiros é assassinado

A Polícia Civil de Mogi das Cruzes investiga a hipótese de crime político para o assassinato de Jair Donizeti de Paula Assis, de 45 anos, presidente do Sindicato dos Transportes Alternativo da cidade. Assis foi morto com um tiro na cabeça, às 10h30 de hoje na Rua Marechal Deodoro, região central da cidade. No momento em que foi atingido, ele chegava à casa do diretor comercial da Cooperativa do Sistema Único do Transporte Alternativo (Coopersutar), Atiman de Abreu. A mulher, Célia Regina de Paula Assis, que ficou no carro estacionado, viu quando o assassino -um homem magro alto, vestindo calça jeans e camisa azul- bateu no ombro do marido e em seguida atirou a queima roupa, e logo depois fugiu. Perueiros que trabalhavam há 20 anos com Jair o descrevem como um líder pacífico e atuante companheiro e sem inimigos políticos. Colegas da direção da Coopersutar disseram suspeitar que Jair tenha sido morto por engano. ?Acho que o tiro não era prá ele, desconfiamos que seria para o Atiman, que já havia recebido diversas ameaças de morte?, disse o diretor Theodorico Santos Martins. O delegado Luiz Roberto Bilo, titular do setor de homicídios da cidade, disse que ainda é cedo para definir a autoria do crime. ?Temos três linhas de investigação e a motivação de crime político é a primeira delas.? Uma testemunha que presenciou ao crime, cuja a identidade está sendo mantida em sigilo, foi levada ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), da capital para elaborar um retrato falado do assassino. Jair deixa quatro filhos. Ele seria velado no velório municipal de Mogi das Cruzes e seu corpo será enterrado amanhã no Cemitério da Saudade.

Agencia Estado,

06 Fevereiro 2004 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.