Ideia simples criada para solucionar um problema! Sabe o é que isso?

guiasoesp

07 Novembro 2012 | 11h02

Startup! 

Numa época em que o empreendedorismo está em alta, ouvimos muito se falar em startups. A grosso modo e superficialmente, podemos definir o termo como uma pequena empresa no seu início, com custos baixos que cresce e lucra rapidamente. Mas é muito mais do que isso. Vejam a matéria a seguir e entendam um pouco mais sobre elas!

 

Conceito


“Uma empresa de base tecnológica, com um modelo de negócios repetível e escalável, que possui elementos de inovação e trabalha em condições de extrema incerteza”. Essa é a definição da Associação Brasileira de Startups!”

Trata-se de um modelo de empresa jovem, repetível e escalável. Repetível por que deve ser capaz de entregar o mesmo produto, diversas vezes e tê-lo sempre disponível para venda e escalável por que deve crescer rapidamente em receita, lucro e riqueza e lentamente em custos.

Elas são, em sua maioria, empresas pequenas, mas que despertam grande interesse de indústrias e investidores, pelo fato de gerar pequenos projetos empresariais, devido a ideias inovadoras, que são a base principal das startups. Além de terem um perfil jovial, otimista, não burocrático e sem elementos tradicionais de uma empresa comum, com hierarquia rígida, formalidades de vestuários e horários fixos, por exemplo. As startups, em regra, querem as pessoas felizes e com qualidade de vida, fazendo o que gostam, utilizando de forma agradável o capital intelectual adquirido, conforme analisa Bruno Caetano, diretor superintendente do Sebrae-SP.

Agilidade entre a concepção da ideia e a entrega do produto é o que determina o sucesso de uma startup.

Startup e incerteza andam juntas

Não há como ter a certeza de que a tal ideia ou o tal projeto vai mesmo dar certo, pelo fato de startups serem opostas aos modelos tradicionais de negócios, além de lidarem com o que precisa ser criado, logo sem nenhuma precisão de sucesso.

Não basta ter a ideia, tem que atrair investidores

Ter uma grande ideia não é o mais difícil, afinal o mundo é cheio de indivíduos criativos, a dificuldade está em colocá-las em prática, no “fazer acontecer”. O empreendedor ou aspirante a tal deve prestar atenção às demandas de mercado para criação de produtos ou serviços que sejam atrativos, não somente aos consumidores mas, principalmente a investidores, afinal nada se cria sem um capital.

Como as startups são negócios de risco, os investidores procuram aquelas que oferecem boa relação entre risco, inovação, mercado e escalabilidade.

“Alguns preferem investir em startups com modelo de negócio já aprovado. Outros preferem com alto grau de inovação, mas todos investidores procuram empreendedores de alto impacto”, resume Caetano.

Oportunidade

E se você acha que ninguém vai dar atenção a sua ideia, está enganado. Para cada duas startups, existe um investidor-anjo em atuação no Brasil. Falando em números: apenas nos últimos dois anos, foram realizados pelo menos 200 aportes expressivos de capital em startups, com cifras que giram em média R$ 500 mil.

Startups famosas

Google, Apple, Camiseteria, Buscapé, Peixe Urbano, entre outras, são alguns exemplos de empreendedorismo e inovação fortes pelo crescimento monstruoso que tiveram e atualmente, liderar os segmentos em que atuam.

Fonte: Exame / Sebrae / Estadão PME

Gostou da matéria? Opine, interaja, compartilhe!