O ano na economia

carloseduardogoncalves

02 Abril 2015 | 10h40

Já sabíamos que viria um ajuste, mas ajustes críveis, bem implementados e com apoio de todo o governo e boa parte do congresso ajudam a levantar as expectativas dos agentes econômicos.  O fato do desânimo não ter parado de cair é mau sinal, sugere falta de credibilidade no plano, dúvidas quanto à permanência mais longeva de Levy, medo de uma guerra entre Congresso e Executivo, etc. E com os espiritos animais dos empresários dormindo, fica tudo muito difícil, por exemplo, porque sem crescimento é difícil arrecadar e assim melhorar a cara fiscal do país.

Eu achava, meses atrás, que a nomeação de um ministro de alto nível resolveria a questão de credibilidade. Não resolveu.

Não sei mais para onde o barco vai.