O horror

Breve estadia

carloseduardogoncalves

29 Abril 2015 | 10h25

Veio de longe a menina.

Trouxe uma confiança indevida para esse lugar aqui, uma confiança só de lá, intransferível.

O Hábito não atende imediatamente aos alertas da nova geografia.

Por que veio, se aqui — cruzando o mar rumo ao sul — há muitos maus e indisciplinados e desrespeitadores de tudo?

Veio por fé, eu acho (não nos falamos, apenas nos cumprimentamos). Senso de missão. E veio também para ver e viver a terra natal, esperançosa. Para renascer brasileira, para perder o sotaque, para…

Mas não teve tempo para nada disso. De onde nos olha agora essa menina, já sem vida? Nos olha?

Eu sei o que vejo: o horror. E o que não vejo, mas pressinto: a maior dor do mundo.