Neste mesmo dia é suspensa a censura nas redações de "O Estado" e Jornal da Tarde”.

No dia 12 de junho de 1976 completava-se a mudança de “O Estado de S. Paulo”, Jornal da Tarde” e “Agência Estado" para o bairro do Limão.

Em agosto de 1981 “O Estado de S. Paulo” e o “Jornal da Tarde” ganham em última instância uma ação contra a União pela perdas sofridas com a apreensão das edições de 10 e 11 de maio de 1973, quando apenas os dois jornais foram proibidos de noticiar a renúncia de Cirne Lima, ministro da Agricultura durante o governo Médici.

A “Agência Estado" adquiriu a Broadcast, incorporada oficialmente em 6 de janeiro de 1992. No dia 12 de setembro de 1993 a cor do logotipo do cabeçalho de "O Estado" passa a ser azul, escolhida pelos próprios assinantes. Em março de

  2000 ocorreu a fusão dos “sites” da Agência Estado, O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde resultando no portal Estadao.com.br, veículo informativo em tempo real.

Em janeiro de 2003 o portal Estadao.com.br superou a marca de um milhão de visitantes mensais, consolidando sua posição de liderança em consultas a veículos de jornalismo em tempo real no Brasil.

E, em abril de 2004, o jornalista Ruy Mesquita, Diretor de Opinião de "O Estado de S. Paulo", foi agraciado com o prêmio Personalidade de Comunicação 2004, conferido pela Associação Brasileira de Jornalismo Empresarial.

Pesquisas de mercado, há décadas, apontam o jornal como aquele que desfruta da maior credibilidade dentre todas as empresas jornalísticas brasileiras. E por várias vezes foi indicado por associações internacionais como sendo um dos


  1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8

   
  Versão para imprimir