03.05.2014 - 06:34

Marcas de luxo estão em boa fase no País

Na contramão do mercado nacional, Audi, BMW e Mercedes têm recorde de vendas

Karina Craveiro
Audi A3 Sedan - JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão
Audi A3 Sedan

Três marcas e muitas características em comum: são alemãs, atuam no segmento de luxo, estão construindo fábrica no Brasil e acabam de registrar recorde de vendas no primeiro trimestre do ano. Audi, BMW e Mercedes-Benz cresceram 10,5%, 88% e 30%, respectivamente, no mercado nacional. No mesmo período, as vendas totais no País tiveram queda de 1,68%, segundo a Fenabrave, federação que reúne as associações de fabricantes.

++ Siga o Jornal do Carro no Facebook
++ Luxuosos por menos de R$ 100 mil

São muitos os motivos que levaram consumidor à categoria de carros de luxo. “Os veículos ‘premium’ estão cada vez mais competindo nos segmentos dominados por fabricantes tradicionais. A pequena diferença de preços encoraja a compra de um modelo mais sofisticado”, analisa o gerente de negócios da Jato Dynamics do Brasil, Milad Kalune Neto. De acordo com ele, a tendência é que veículos nacionais tenham seus preços reduzidos para se manterem mais competitivos. 

O Grupo Eurobike, que tem autorizadas das marcas Audi, BMW, Jaguar, Land Rover, Mini, Porsche e Volvo, fechou o primeiro trimestre com faturamento de R$ 26 milhões, 31% a mais que o registrado no mesmo período de 2013. O presidente da empresa, Henning Dornbusch, diz que a alta tem a ver com a oferta de novos produtos, somada à facilidade de crédito. “As vendas crescem quando as marcas trazem novidades com preço atrativo, como o Audi A3 Sedan, nosso produto mais vendido atualmente.” Recentemente, foi lançada versão com preço de R$ 94.800. 

Marcas de luxo que não anunciaram produção local foram as que mais sentiram a perda de participação no mercado, segundo Milad. “A tendência é que empresas com Porsche e Volvo se preocupem em trazer produtos rentáveis para o mercado brasileiro”, opina. 

Em alta no País, a Audi tem a meta de dobrar o número de concessionárias de 30 para 60 nos próximos três anos. O investimento nas operações de varejo deve chegar a R$ 300 milhões, enquanto o montante aplicado na fábrica da marca em São José dos Pinhais (PR), esperada para 2015, é de R$ 440 milhões. Para este ano, o objetivo é emplacar 10 mil veículos. 

O diretor geral de automóveis da Mercedes-Benz, Dimitris Psillakis, planeja atingir recorde de vendas para a montadora no mercado nacional em 2014. Até agora, a marca de Stuttgart anunciou investimento de R$ 500 milhões na fábrica de Iracemápolis, em São Paulo. “Temos previstos 17 lançamentos até dezembro. Nossa meta é superar os resultados que conquistamos em 2011, quando vendemos 10,5 mil automóveis”, afirma o executivo. 

A BMW, que tem 34 revendas no Brasil, pretende abrir sete novas até dezembro. Na planta de Araquari (SC), que começa a operar no fim do ano, foram investidos R$ 620 milhões. 

> Saiba mais sobre Karina Craveiro no Google

Comentários

Tabela JC

Links patrocinados
Anuncie aqui