31.08.2014 - 08:00

Freios devem ser revisados a cada 10 mil km

Discos, pastilhas, tambor e lona podem ter desgaste prematura por causa de fatores como o modo de dirigir

Rafaela Borges
Durabilidade média do sistema é de 50 mil quilômetros - Fotos: Henrique Pinheiro/Estadão
Fotos: Henrique Pinheiro/Estadão
Durabilidade média do sistema é de 50 mil quilômetros

Formado por discos, pastilhas, tambor e lona, o sistema de freios é um dos mais importantes para a segurança de motorista e passageiros do veículo. Por isso, a vistoria deve ser feita, em média, a cada dez mil quilômetros, ou conforme indicação no manual do proprietário do carro.

 

Já a durabilidade média dos componentes do sistema, segundo especialistas, é de 50 mil quilômetros. Porém, o administrador de oficina mecânica Pedro Luiz Scopino alerta que algumas peças se desgastam mais rápido e devem ser trocadas entre 20 e 30 mil km. 

Alguns maus hábitos ao volante podem causar desgaste prematuro em suas peças. Entre eles está frear o carro bruscamente e andar com a marcha desengatada.

Além disso, problemas em outros sistemas, como o de suspensão e embreagem, se não resolvidos assim que percebidos, podem interferir nos freios, causando também desgaste acentuado em seus componentes. É o chamado “efeito cascata”.

Os problemas mais comuns são o desgaste da lona e da pastilha, que comprometem a capacidade de frenagem. Ruídos (os famosos assovios) e trepidação do pedal são sinais de que há algo errado no sistema. “Preste atenção também ao pedal ‘borrachudo’, ou seja: o motorista o pressiona e percebe que o carro não está parando”, recomenda o diretor da Associação de Engenharia Automotiva (AEA), Marcus Vinicius Aguiar.

Alguns componentes, como os discos, podem ser reparados. Os de fricção (pastilhas e lonas), no entanto, não têm conserto. Se apresentarem defeito, devem ser trocados.

FLUIDO

O fluido de freio circula pela tubulação do sistema, lubrificando suas peças e evitando que elas se desgastem prematuramente por excesso de fricção, além de corrosão.

A recomendação de especialistas é que o fluido seja trocado ao menos uma vez por ano, ou a cada dois anos, dependendo do veículo. Verifique a recomendação no manual do veículo. Além disso, nas verificações ao sistema de freio, se o nível do fluido estiver baixo, não basta completa-lo. É necessária a substituição.

Há, ainda, risco de vazamento do fluido, causado por desgaste dos flexíveis de freio, ou mangueiras. Essas peças podem também se romper em um impacto, por exemplo.

Se o nível do fluido estiver baixo, há redução da capacidade de frenagem ou mesmo chance de o carro não parar quando o sistema estiver acionado. Por isso, pedal “borrachudo” é um sintoma de que é hora de verificar ou trocar o fluido.

“Em regiões mais úmidas, é comum o fluido capturar água, o que exige trocas mais constantes”, alerta Aguiar.

ABS


Obrigatórios em carros de passeio e comerciais leves vendidos no Brasil desde o início do ano, o sistema de freios antitravamento não costuma apresentar problemas. A falha mais comum, embora rara, é nos sensores de rodas. Neste caso, a luz do ABS vai se acender no painel do veículo.

PREÇOS

Para o Fiat Uno Vivace 1.0 2014, o fluido de freio sai por R$ 19. Os jogos de lona, discos e pastilha têm preço de, respectivamente, R$ 320, R$ 340 e R$ 170, em média.

No caso do Ford Fiesta S 2014, são, em média, R$ 290 para as lonas, R$ 105 para os discos e R$ 450 para as pastilhas. O fluido de freio custa cerca de R$ 30.

Os valores foram pesquisados na rede de concessionárias Fiat e Ford. 

Comentários

Tabela JC

Links patrocinados
Anuncie aqui