31.07.2010 - 12:00

Supermercado: peças para carros

Hipermercados e lojas especializadas investem em diferenciais para atrair donos de veículos. Ideia é oferecer comodidade e conquistar o consumidor durante as compras do mês ou que não pensava em adquirir mais do que estava na lista

O estudante Celso Boeto faz as contas antes de aproveitar anúncios de ofertas. Foto: Sérgio Castro/AE

O estudante Celso Boeto faz as contas antes de aproveitar anúncios de ofertas. Foto: Sérgio Castro/AE

Por Viviane Biondo

O estudante de engenharia Celso Boeto estava fazendo as compras do mês em um hipermercado quando viu o anúncio de uma oferta de pneus. “Comprei porque já vinha pesquisando em várias lojas. No total, economizei R$ 100 nos quatro.”
Segundo informações das redes Pão de Açúcar e Walmart, o item foi o principal responsável pelo crescimento de 25% nas vendas da seção de componentes e acessórios automotivos no primeiro semestre deste ano ante o mesmo período de 2009. Baterias, palhetas dos vidros e produtos para limpeza do carro são outros campeões de venda.

“A conveniência e as promoções atraem o cliente. Além da possibilidade de parcelar a compra sem juros, ele não paga pela troca dos itens feita nas oficinas parceiras que ficam no próprio estacionamento das lojas”, diz a gerente de produto do Walmart, Simone Curtolo.

Para Charles Szulcsewski, coordenador de MBA em Gestão Estratégica de Negócios Automotivos da ESPM, oferecer produtos automotivos onde o cliente vai sem a finalidade de encontrá-lo é estratégico. “Atrai mais a atenção do consumidor. É como promover um veículo no corredor de um shopping center.”

Antes de sair comprando, contudo, é preciso tomar alguns cuidados. “Deve-se avaliar se a compra compensa ou se é feita por impulso pelo temor de perder o que é anunciado como oferta”, diz o coordenador do curso de Economia da Fecap, Glauco Perez da Silva. “Muitas vezes o cliente não tem ideia do preço e paga mais pela comodidade de encontrar tudo no mesmo lugar e de poder parcelar o valor.”

Boeto conta já ter escapado de uma “oferta” que parecia imperdível. “Deixei de levar a embalagem maior de óleo lubrificante porque vi que pagaria menos ao comprar duas menores, que totalizavam o mesmo conteúdo.”

Já nas lojas especializadas são os itens de menor valor que precisam ser destacados. “Em geral o balconista só entrega as peças pedidas. Produtos como xampus para lavagem e capa de volante, por exemplo, têm de estar nas vitrines”, afirma Moisés Sirzente, dono da Jocar.

A estratégia funcionou com o estagiário de direito Leandro da Glória, que foi a uma loja da rede MercadoCar comprar óleo e filtros. Levou também odorizador, maçanetas cromadas, tapetes e gastou R$ 32 além dos R$ 56 previstos. “Não pesquisei os preços. Passei pelos corredores para ver as novidades e, como sempre, acabei comprando mais coisa.”

Autopeças tambem oferecem serviços de manutenção

A venda de peças e acessórios em lojas especializadas do Estado cresceu 20% no primeiro semestre de 2010 em comparação ao mesmo período de 2009. “A alta é impulsionada pelo aumento da frota desde 2005 e pela inspeção veicular obrigatória”, afirma Francisco De La Torre, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Peças e Acessórios para Veículos (Sincopeças).

Além disso, houve aumento do número de famílias com carros e da oferta de serviços rápidos de manutenção. Na rede MercadoCar há lanchonete e café grátis para os clientes. Segundo Szulcsewski, essa preocupação tem bons motivos. “As decisões que envolvem o carro, desde a compra até a manutenção, mobilizam a família toda porque implicam ajustes no orçamento da casa.”

Para a analista de sistemas Sandra Garcia, que desde o fim da garantia de fábrica de seu Ford Fiesta prefere trocar óleo, filtros e lâmpadas de faróis e lanternas no MercadoCar, a indicação de seu pai foi essencial. “Ele sempre veio aqui, então confio e é prático.”

Comentários

Tabela JC