29.08.2014 - 08:00

Veja dicas para cuidar dos bancos do veículo

Evitar ressecamento dos bancos de couro e remover manchas dos de tecido deixa interior com aspecto de novo

Rafaela Borges
Hidratação evita ressecamento do couro e deve ser feita a cada seis meses - Fotos: Rafaela Borges/Estadão
Fotos: Rafaela Borges/Estadão
Hidratação evita ressecamento do couro e deve ser feita a cada seis meses

Os bancos, revestidos de couro, tecido, ou mistos, são a parte mais complexa de limpar na cabine de um carro. Mantê-los limpos garante uma aparência higiênica e bonita ao interior, além de evitar que cheiros desagradáveis fiquem impregnados, incomodando motorista e passageiros. Práticas esporádicas, como hidratação e higienização, vão assegurar que eles preservem aparência de novos.

 

No caso dos bancos de couro, a limpeza é mais simples. Na hora de lavar o carro, deve-se passar nos bancos um pano úmido, usando produtos neutros de limpeza. Para os de tecido, o processo é mais complexo. Além disso, eles absorvem mais os cheiros desagradáveis, principalmente quando o carro é exposto a muita umidade.

BANCOS DE COURO

Além da limpeza frequente – pelo menos uma vez por mês -, é preciso evitar expor o revestimento ao sol, que resseca o couro e, ao longo do tempo, pode causar rachaduras no revestimento. “Neste caso, na maioria das vezes é impossível recuperá-lo”, diz o analista técnico do Cesvi Daniel Lauri.

Uma vez a cada seis meses, recomenda-se realizar a hidratação dos bancos de couro. São usados produtos para limpar, hidratar e dar brilho ao revestimento. “O processo é rápido; leva apenas meia hora”, diz o supervisor de empresa especializada em limpeza automotiva Rogerio de Farias.

Processo de hidratação é composto por três etapas, entre elas a limpeza

 

De acordo com o especialista, além de limpar o revestimento, a prática evita seu ressecamento (confira, no vídeo, como ela é realizada).

Empresas de limpeza automotiva cobram, em média, R$ 270 pelo serviço de hidratação. O motorista pode optar por fazê-lo em casa, adquirindo os produtos, que saem por cerca de R$ 25. O procedimento também é indicado para bancos revestidos de couro sintético.

São usados dois produtos para hidratar o couro


BANCOS DE TECIDO

Não há cuidados específicos recomendados em relação aos bancos de tecido. Quando são danificados, é por causa da ação humana. Manchas são causadas por vazamento de produtos químicos ou alimentos, por exemplo. Além disso, eles são mais suscetíveis a cheiros impregnados.

Aspirador é utilizado na higienização da cabine

Os bancos devem ser limpos sempre que o motorista for lavar o carro. Além de pano úmido com produtos neutros, recomenda-se uso de aspirador de pó. As manchas pesadas, porém, só saem com produtos específicos.

“Empresas especializadas usam produto específico para tirar manchas, com lavagem a seco, utilização de vapor e removedor”, diz Daniel Lauri, do Cesvi. “Em casos mais graves, há necessidade de realizar uma higienização.”

Este processo é feito não apenas nos bancos, mas em toda a cabine, de acordo com Rogerio de Farias. Geralmente, não há necessidade de desmontar bancos e retirar forrações, mas isso pode ocorrer em casos mais graves.

Preços da higienização são bastante variáveis

“Os bancos e revestimentos são removidos quando há, além de odor impregnado, fungos e bactérias”, explica Lauri.

O preço deste processo é bastante variável, de acordo com a empresa que o realiza. A reportagem pesquisou valores iniciais entre R$ 300 e R$ 470 em empresas especializadas em higienização automotiva de todas as regiões da cidade de São Paulo. 

Amanhã, em continuação ao Especial de Serviços do Jornal do Carro, você vai poder ver os cuidados que se deve ter com o estofamento do carro. 

 Notícias anteriores:

Trocar lâmpada pode aumentar segurança
Rodas maiores podem causar problemas
Veja quando trocar os amortecedores
Tempo seco compromete borracha da palheta

 

Comentários

Tabela JC

Links patrocinados
Anuncie aqui