Esclareça as suas dúvidas :: B

Bacanal. Palavra feminina: a bacanal.

Bahia. 1 - Com h quando designa o nome do Estado. 2 - O h cai, porém, nos termos derivados: baiano, baianidade, coco-da-baía, laranja-da-baía, etc.

Baía. Escreva Baía de Guanabara, de Todos os Santos, de Paranaguá, etc.

Bairro. Inicial minúscula: o bairro de Pinheiros.

Baixo. Use a baixo em frases como: Olhou-o de alto a baixo

Baixo-relevo. Plural: baixos-relevos.

Baixo-ventre. Plural: baixos-ventres.

Balança, balanço. Balança comercial, balanço de pagamentos.

"Bâle". Use Basiléia.

Baliza. Com z, assim como balizar ou balizamento.

Bandeira Nacional. Iniciais maiúsculas.

Bandeirante(s). 1 - Bandeirante, sem s: o bandeirante (desbravador), população bandeirante (paulista), o bandeirante (o paulista), uma bandeirante (moça adepta do bandeirantismo). Todas essas formas admitem plural: os bandeirantes (desbravadores e paulistas), homens bandeirantes (paulistas), as bandeirantes (moças). Ainda Bandeirante, sem s, mas como nome próprio: o avião Bandeirante, um Bandeirante, a Casa do Bandeirante, o Bandeirante (de Birigüi). 2 - Bandeirantes, nome próprio, com s: dois Bandeirantes (aviões), Rodovia dos Bandeirantes, Avenida dos Bandeirantes (São Paulo), Palácio dos Bandeirantes, Rede Bandeirantes, Bandeirantes (cidade do Paraná).

Bangue-bangue. Desta forma.

Banir. Conjuga-se como abolir : Banes, bane; bane tu, bani vós. Não tem a 1.ª pessoa do pres. ind. e todo o pres. subj.

Banto. E não "bantu".

Barão. Feminino: baronesa.

Barato. 1 - Barato já encerra idéia de preço. Dessa forma, preço barato é redundância. Escreva livro barato, produtos baratos. Para preço, use baixo, mínimo, reduzido, insignificante, etc. 2 - Como adjetivo, a palavra varia: Comprou roupas baratas. / Pôs anúncio procurando uma casa barata / Só freqüenta lugares baratos. 3 - Como advérbio, permanece invariável: Comprei barato estas frutas. / Até que saíram barato tamanhos desaforos. / As frutas custam 10% mais barato (e não mais baratas) a partir de amanhã.

Barman. Plural: barmen.

Barra. Use a barra: 1 - Em formas como km/h, homens/ hora, tonelada/mês, carros/dia. 2 - Para separar um verso do outro, em composição recorrida. 3 - Na alternativa e/ou (Estariam ali os pais e/ou os filhos). 4 - Nas datas: 3/6/90.

Basiléia. E não "Basel".

Bastante. 1 - É invariável (advérbio) no sentido de muito, suficientemente: Estavam bastante preocupados. / Todos ficaram bastante satisfeitos. 2 - É variável (adjetivo) quando equivale a suficiente, que basta: Havia provas bastantes do crime. / Somos bastantes (suficientes) para fazer o trabalho. 3 - Não use a palavra como sinônimo de muitos, em grande quantidade, em frases deste gênero: Havia "bastantes"(muitas) pessoas na praça. / "Bastantes" (muitas) escolas aumentaram as mensalidades.

Bastar. Concorda regularmente com o sujeito: Bastam estes exemplos. / Três salários mínimos já lhe bastam para viver.

Bastião. Plural: bastiões (prefira) e bastiães.

Batavo. E nunca "bátavo".

Bate-estaca. Um bate-estaca, dois bate-estacas.

Bater. Um carro bate ou alguém bate com o carro em algum coisa: O carro bateu no ônibus. / O motorista bateu com o carro em dois ônibus. Mas não: O motorista "bateu o carro" em dois ônibus.

Bater (horas). Concordância. Ver horas.

Bávaro. Natural da Baviera (e não "da Bavária").

"Beijing". Use Pequim.

Bem... Exige hífen antes de palavra que tenha vida autônoma ou quando a pronúncia o justifique: bem-acabado, bem-aventurado, bem-comportado, bem-dormido, bem-educado, bem-fazer, bem-feito, bem-humorado, bem-intencionado, bem-lançado, bem-nascido, bem-posto, bem-querer, bem-sucedido, bem-vindo. Exceções: bendito, benfazejo, benfeitor, benfeitoria, benquerença, benquerente, benquistar, benquisto. (Veja no capítulo Escreva Certo a relação das palavras em que bem se liga com hífen ao termo seguinte.)

Bem como. Concordância. Ver assim como.

Bem-vindo. Desta forma. Benvindo é nome de homem.

Bênção. Plural: bênçãos

Bendizer. Conjuga-se como dizer.

Beneficência. E nunca "beneficiência". Da mesma forma, beneficente, e não "beneficiente".

Beneficiar. O verbo é direto: Seu governo beneficiou os (e não "aos") parentes. / O ábitro beneficiou a (e não "à") equipe da casa.

Berbere. Sem acento (pronuncia-se berbére).

Bestialógico. E não "bestialógio".

Bexiga. E não "Bixiga" (São Paulo).

BH. Aceitável, apenas em títulos, para substituir Belo Horizonte.

"Bi". Nunca use, muito menos em títulos, para substituir bilhão ou bilhões.

Bi... Liga-se sem hífen ao elemento seguinte, eliminando-se o h intermediário e duplicando-se o r e o s: biatômico, bicampeonato, bielétrico, bigranulado, biebdomadário, biiodeto, bilateral, biovulado, birreator, bissexual, biunívoco.

"Bicha". Não use, especialmente para designar homossexual. Se se tratar do verme, prefira lombriga.

Bilhão. Atenção: o valor não é o mesmo em todos os países. No Brasil, na França e nos Estados Unidos, o número equivale a mil milhões (1 mais 9 zeros: 1.000.000.000). Na Inglaterra, na Espanha, na Alemanha, em Portugal e em outros países, corresponde a um milhão de milhões, ou um trilhão no Brasil (1 mais 12 zeros: 1.000.000.000.000). b) Concordância. Ver milhão.

Bimensal, bimestral. Bimensal - que ocorre ou circula duas vezes por mês, quinzenal: pagamento bimensal, revista bimensal. Bimestral - que ocorre ou circula de dois em dois meses: rodízio bimestral, revista bimestral.

Bio... Liga-se sem hífen ao termo seguinte, duplicando-se o r ou s que inicie sílaba: bioastronomia, bioenergia, biobotânico, biomagnético, biorritmo, biossatélite.

Biópsia. Prefira biópsia a biopsia, embora ambas as formas sejam corretas.

Birigüi. Com trema e sem acento no i.

Bisavô, trisavô, tetravô. Bisavô - pai do avô. Trisavô - pai do bisavô. Tetravô- pai do trisavô (variante popular: tataravô). Da mesma forma, bisavó, trisavó e tetravó(tataravó, na forma popular). Dessa forma, tetravô (ou tataravô) não é o pai do bisavô, como se usa habitualmente.

Bisneto, trineto, tetraneto. Bisneto - filho do neto. Trineto - filho do bisneto. Tetraneto - filho do trineto (variante popular: tataraneto). Como se vê, o tetraneto (ou tataraneto) não é o filho do bisneto, como se usa habitualmente.

Blitz. Existem dois equivalentes em português: incursão (guerra) e batida (policial). Plural: blitze.

Boa parte. Concordância no singular: Boa parte das sugestões será aproveitada. / Boa parte das pessoas já passou.

Boa vontade. 1 - Boa vontade e má vontade, bom gosto e mau gosto, bom humor e mau humor funcionam como uma única palavra quando precedidos de mais, menos, muito e pouco. 2 - O mesmo ocorre com outras expressões semelhantes. Assim, use: mais boa vontade (e não melhor vontade), mais má vontade (e não pior vontade), mais bom gosto, mais mau gosto, mais bom humor, mais mau humor. 3 - Igualmente, menos boa vontade, menos má vontade, etc. 4 - Muito e pouco concordam com a expressão: muita boa vontade, pouca má vontade. 5 - Com as palavras compostas, a concordância torna-se mais óbvia: mais boa-fé, muita boa-fé, mais má-fé, pouca boa-fé, muitas boas-vindas, poucas boas-festas. 6 - Usam-se essas expressões também com melhor e pior: a melhor boa vontade, o pior mau humor, o melhor bom gosto, a pior má-criação, a pior má-fé, a melhor boa-fé, etc.

Boca-a-boca, boca a boca. Quando substantivo, tem hífen (é o próprio processo): O boca-a-boca é a melhor forma de divulgar uma peça teatral. Sem hífen, é mera locução (indica a forma do processo): A notícia correu boca a boca.

Bochincho. E não "bochicho" e muito menos "buxixo".

Boemia. Já é aceitável o brasileirismo boemia (mía), em vez do erudito boêmia (vida noturna), conforme registram o Aurélio e o Vocabulário Ortográfico, da Academia Brasileira de Letras. Use apenas Boêmia, porém, para designar a região da Europa.

Bojo. Evite a expressão "no bojo de ", ruim jornalisticamente.

Bola da vez. Modismo. Evite

Bolsa de valores. 1 - Inicial maiúscula: a) Para uma ou mais bolsas específicas. Assim: a Bolsa de Valores de São Paulo, a Bolsa de Valores do Rio, a Bolsa de São Paulo, a Bolsa do Rio, a Bolsa de Nova York, as Bolsas de Valores de São Paulo e do Rio, as Bolsas de São Paulo e do Rio. b) Quando a palavra Bolsa estiver substituindo a Bolsa de São Paulo (neste caso ela pode aparecer sem o nome da cidade) ou de outra cidade (mas sempre com o nome desta cidade citado): Estrangeiros fazem Bolsa bater recorde (era a de São Paulo). / Crise derruba Bolsa em São Paulo. / Queda do dólar afeta Bolsa em Nova York.

2 - Inicial minúscula: Quando a palavra for usada genericamente ou para duas ou mais bolsas não especificadas no título. Exemplos: O melhor investimento atualmente é jogar na bolsa. / Crise derruba bolsas. / Exemplo mexicano afeta bolsas da América Latina. / Entrada de dólares anima as bolsas.

Bom. Ver em é preciso, a concordância de é bom.

Bomba. Liga-se com hífen a outro substantivo: argumento-bomba, carros-bomba. 2 - Evite as locuções cair, estourar e explodir como uma bomba, que são lugares-comuns.

Bonachão. Flexões: bonachona e bonachões.

Bons motivos para comemorar. Lugar-comum. Não use.

Bordel. Plural: bordéis (Bordéus é nome de cidade).

Borderô. Desta forma.

Bordéus. Aportuguesamento do nome da cidade francesa Bordeaux.

Bordo. Use a bordo de apenas no sentido literal (a bordo do navio, passageiros a bordo) e nunca no figurado, mero modismo (a bordo do mandato, a bordo do marido, a bordo de seus sentimentos, etc.).

Borgonha. Aportuguese o nome da região francesa.

Bossa nova, bossa-nova. 1 - Sem hífen, designa maneira recente de fazer alguma coisa: a bossa nova (na música). 2 - Com hífen, é o adjetivo correspondente, que não varia no plural: música bossa-nova, teatro bossa-nova, concepções bossa-nova.

Botijão. Prefira esta forma a bujão.

Branco. Não existe voto "branco", mas apenas em branco.

Brandir. Conjugação. Só tem as formas em que ao d se segue e ou i: brande, brandiu, etc.

Brás. Com s para designar tanto o bairro como os nomes próprios: Venceslau Brás, Brás Cubas, etc.

Brecht. Atenção para o primeiro nome: Bertolt e não Bertold.

Bruços. De bruços, no plural.

Bucho, buxo. Bucho - estômago; buxo - planta.

Bulir. Conjuga-se como acudir : bulo, boles; bulia; que eu bula; bole tu, buli vós; etc.

Buquê. Desta forma, tanto para o ramalhete de flores como para o aroma do vinho.

Burgomestre. Aceitável apenas em editoriais ou artigos - mas nunca em reportagens ou notícias como sinônimo de prefeito.

Button. E nunca "bottom", que significa fundo, traseiro, em inglês, nem "botton".

"Buxixo". Não existe. O certo é bochincho.

Buzina. Com z.


Busca

Patrocinado por: