Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Cultura
Início do conteúdo

Livro revela pioneirismo do Centro Cultural São Paulo

19 de dezembro de 2012 | 10h 05
AE - Agência Estado

Marco na paisagem paulistana, o edifício do Centro Cultural São Paulo, na Rua Vergueiro, acomoda-se com suavidade num declive do terreno e abre-se democraticamente para os transeuntes que passam por sua calçada, afirmando uma utopia arquitetônica socializante. Mas poucos serão aqueles que saberão dizer de bate-pronto quem foi o arquiteto que o projetou - mesmo no dia de sua inauguração, em 13 de maio de 1982, os arquitetos "não foram citados e assistiram camuflados na massa", segundo lembra o livro "Centro Cultural São Paulo - Espaço e Vida", de Fernando Serapião.

Eurico Prado Lopes e seu sócio Luiz Telles, autores do projeto, tinham menos de 40 anos na época e eram "azarões" na empreitada. Tinham desenvolvido o projeto do Mercado de Pinheiros anteriormente. Eurico Prado Lopes, especialmente, era um promissor enfant terrible da arquitetura paulistana, um flâneur de classe média de orientação progressista, seguidor de Vilanova Artigas (Eurico morreria precocemente, aos 45 anos, em um acidente de automóvel na Via Dutra, em 1985).

Com o auxílio de Luiz Telles, Fernando Serapião faz uma pequena biografia comentada dos protagonistas e do projeto, "o primeiro equipamento multicultural" de São Paulo, e aborda seu desenvolvimento no volume a partir de uma perspectiva social, política e histórica da cidade. Ele considera que a solução do concreto no projeto é "uma resposta à crítica endereçada tanto às obras da escola paulista quanto às da escola carioca de Niemeyer e Lúcio Costa".

O autor conta que lembra precisamente da primeira vez que viu o Centro Cultural São Paulo. Passeava com o pai pela Avenida 23 de Maio e tinha 10 anos. "Ele foi inspirado naquele projeto de Paris", comentou o pai, referindo-se ao Centro Georges Pompidou. "O que poucos perceberam é que sua arquitetura libertária é uma resposta aos anos de chumbo. O espaço carrega essa contradição: se por um lado, a escala e a maneira como foi construído revelam uma era de imposição, por outro, o desenho franco como extensão da rua é um grito de liberdade."

O livro de Serapião é ricamente ilustrado com fotos e desenhos do terreno, da obra e dos personagens de sua construção, além de ensaios fotográficos de Cristiano Mascaro, Mauro Restiffe e Nelson Kon. Ele narra os percalços da construção, as improvisações, os problemas que persistiram por mais de uma década, e também as vocações naturais dos espaços de exposição e de apresentações.

"É um dos espaços mais democráticos da cidade, onde um morador de albergue pode jogar xadrez, o estudante navegar na internet e um pesquisador de música encontrar a partitura desejada. Tudo de graça", escreve Serapião. Em 30 anos, o CCSP já teve 13 diretores, de advogados a filósofos. Alguns o dirigiram por sete anos, outros por um mês. Na entrada, a escultura Eva, de Brecheret, recebe os cerca de 800 mil visitantes que passam por ali a cada ano. O autor sustenta que sua biblioteca é a mais visitada do País. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO - ESPAÇO E VIDA

CCSP (Rua Vergueiro, 1.000). Tel. (011) 3397-4002. Quarta, das 19 h às 22 h (lançamento e debate).



Tópicos: Arquitetura, Livro

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo