O Porta dos Fundos agora ataca em livro

Os números impressionam: há um ano na web, a Porta dos Fundos, produtora de vídeos de humor, já soma quase 5 milhões de internautas, além de 400 milhões de exibições de vídeos.

UBIRATAN BRASIL, Agência Estado

07 Agosto 2013 | 11h01

Para desvendar o segredo, basta acessar o site e quase perder o fôlego de tanto rir com os esquetes ou ainda criar a própria imagem lendo os principais roteiros, selecionados pelos humoristas e publicados agora pela Sextante - Porta dos Fundos reúne 37 textos criados pelos fundadores (Antonio Pedro Tabet, Fábio Porchat, Gabriel Esteves, Gregório Duvivier, Ian SBF e João Vicente de Castro), que estarão nesta quarta-feira, 7, no lançamento do livro, a partir das 18 horas, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

"O Porta surgiu no momento em que se começou a perceber que um produto para a internet não precisa ser necessariamente tosco. Ou involuntário. O povo da internet não é diferente do restante do povo: ele quer qualidade", comenta o grupo, no texto de apresentação do livro.

Segundo eles, nenhum roteiro que não fosse reescrito ao menos uma vez chegou a ser filmado. Tal perfeccionismo ajuda a explicar a forma hilariante e crítica com que assuntos banais são tratados.

O vídeo mais acessado, por exemplo, surgiu quando Fábio Porchat, colunista do Caderno 2, do jornal "O Estado de S.Paulo", percebeu nunca ter encontrado seu nome em uma lata de refrigerante. "Isso me fez pensar: se eu não encontro o meu nome, o que dirá a Brigite."

Já Sobre a Mesa nasceu quando Antonio Pedro Tabet testemunhou um homem sendo grosseiro com a esposa em um restaurante. "Pensei no que aquela mulher gostaria de dizer para aquele crápula", diz Tabet.

Traveco da Firma, escrito por Gregório Duvivier e Ian SBF, que abre o livro, mostra a surpresa de Jorge que, ao buscar prazer com um travesti, encontra Maurício, colega do trabalho, devidamente ?montado?. O trabalho extra é necessário para garantir a qualidade de vida.

Finalmente, Spoleto, criação de Porchat, foi o primeiro grande sucesso dessa turma. "Tentamos gravar o esquete em uma filial da rede de restaurantes Spoleto, mas a empresa não permitiu. Fizemos em outro lugar e o título original era Fast-food. Quando estourou, a direção do Spoleto veio atrás da gente querendo patrocinar o vídeo e ainda encomendou outros dois", comenta no livro o comediante carioca, que também é ator e redator. De fato, hoje, ao todo, já se somam nove milhões de views.

PORTA DOS FUNDOS - Editora: Sextante (240 págs., R$ 49,90). Lançamento: Livraria Cultura. Av. Paulista, 2.073, Conj. Nacional. Hoje, 18h.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
literatura internet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.