Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Brasil
Início do conteúdo

Identificadas vítimas de desabamento de fábrica em Sorocaba

Sete pessoas faleceram no acidente; os corpos foram liberados para os velórios que acontecem nos salões de duas empresas funerárias da cidade

21 de dezembro de 2012 | 9h 12
José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo

SOROCABA - As sete pessoas que morreram no desabamento do muro de uma antiga fábrica de tecidos na noite desta quinta-feira, 20, em Sorocaba, já foram identificadas. Os corpos foram liberados para os velórios que acontecem nos salões de duas empresas funerárias da cidade.

A remoção dos escombros, que soterraram quatro carros e uma moto, só foi concluída às 4h desta sexta-feira, 21. A rua Comendador Oeterer, no centro da cidade, onde ocorreu o acidente, continua interditada.

O desabamento aconteceu durante forte chuva, no horário de pico, quando muitas pessoas voltavam das compras de Natal - nesse período, o comércio na região central funciona até as 22h.

O trânsito estava praticamente parado quando o muro veio abaixo e a maior parte das vítimas estava dentro dos carros. A estrutura de tijolos antigos e maciços tinha dez metros de altura e não tinha vigas ou outro tipo de sustentação. Parte do muro continua em pé e será examinada hoje por técnicos a serviço da Defesa Civil, que decidirá se vai haver necessidade de demolir o que sobrou.

O conjunto fabril, inaugurado em 1913, é tombado pelo patrimônio histórico municipal. O prédio estava em processo de restauração para abrigar o shopping Pátio Cianê. A empreendedora lamentou o acidente e informou que as causas serão apuradas. Segundo a empresa, a obra estava licenciada e era acompanhada por uma empresa especializada em restauração.

As vítimas

Morreram no desabamento Humberto Dias Ferreira, 53 anos, taxista; Samantha Bianca da Conceição, 24 anos, assistente administrativa; Rayner Alves, 28 anos, vigilante; Nhayara Pamela Airola, 25 anos, auxiliar administrativa; Tiago Alves Siqueira, estudante (criança que não teve a idade confirmada); Evelin Cristina Siqueira, 30 anos, dona de casa; Adilson Nunes Filho, 35 anos, médico. O prefeito Vitor Lippi (PSDB) decretou luto por três dias.




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Protesto pede autonomia para o IBGE

  • Protesto pede autonomia para o IBGE
  • Devo ou não contratar a garantia estendida?
  • Todas as informações sobre o produto têm de ser claras



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo