Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Brasil
Início do conteúdo

Justiça decreta prisão de prefeito do AM acusado de pedofilia

Segundo denúncias feitas ao Ministério Público, crianças entre 9 e 11 anos foram vítimas de Adail Pinheiro, em Coari

07 de fevereiro de 2014 | 23h 52
Glauria Sobreira - Especial para O Estado

O prefeito de Coari, Adail Pinheiro (PRP), deve se entregar neste sábado, 8, à polícia. A prisão preventiva do político e de mais cinco pessoas envolvidas em casos de exploração sexual infantil, entre outros crimes, no município foi decretada nesta sexta-feira, 7, pelo desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), Djalma Martins. Ele acatou o pedido do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), enviado no mesmo dia. O processo tramita em segredo de Justiça.

De acordo com as denúncias feitas ao MPE-AM, crianças entre 9 e 11 anos foram vítimas de Adail Pinheiro. O prefeito esteve preso em 2007 e 2009 e outros inquéritos policiais já investigaram o mesmo crime.

Procurado, o advogado de Pinheiro, Alberto Simonetti, afirmou que não tinha conhecimento de que a prisão havia sido decretada. "Não recebi nenhum documento oficial ainda. Só vou me pronunciar quando tiver o documento em minhas mãos", afirmou. Nos bastidores circulou a informação de que Simonetti ingressou nesta sexta com um pedido de garantia da integridade no TJ-AM para garantir que o prefeito não seja preso.

Petição. Segundo o procurador-geral do MPE-AM, Francisco Cruz, o pedido foi baseado nas informações do trabalho final da força-tarefa enviada ao município no ano passado, que, afirma, coletou dados suficientes para subsidiar a denúncia. "Tomamos essa decisão para garantir a ordem pública, evitar que novas vítimas sejam molestadas e outras testemunhas, ameaçadas. Além do prefeito de Coari, outras cinco pessoas, entre elas agentes públicos, foram denunciadas por meio dessa ação", disse.

CPI. Na quinta-feira, 6, 19 deputados estaduais assinaram o requerimento para a criação e instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a chamada CPI da Pedofilia. Os propositores da CPI vão protocolar na terça-feira, 11, o pedido de investigação.





Tópicos: Coari, Amazonas, Pedofilia

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Funcionários tentaram controlar fogo de ônibus em Osasco

  • Funcionários tentaram controlar fogo de ônibus em Osasco
  •  Psicóloga dá dicas para escolher carreira
  • Brasília: monumental na aparência e nas distâncias



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo