Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > São Paulo
Início do conteúdo

Tribunal de Justiça de SP manda soltar mãe do garoto Joaquim

Habeas corpus foi concedido nesta sexta-feira, 10; Natália Ponte está presa em Tremembé

10 de janeiro de 2014 | 19h 12
Rene Moreira - O Estado de S. Paulo

FRANCA- A psicóloga Natália Ponte, de 29 anos, vai deixar a Penitenciária de Tremembé por decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). O órgão concedeu habeas corpus na tarde desta sexta-feira, 10, libertando a mãe do menino Joaquim, morto aos 3 anos de idade. Natália estava presa desde sábado, 4, a pedido do Ministério Público Estadual. O MPE também havia denunciado Natália e o padrasto de Joaquim, Guilherme Raymo Longo, de 28 anos, na quinta-feira, 2.

Corpo de Joaquim foi encontrado no dia 10 de novembro no Rio Pardo, em Barretos - Alfredo Risk/Futura Press/Estadão Conteúdo
Alfredo Risk/Futura Press/Estadão Conteúdo
Corpo de Joaquim foi encontrado no dia 10 de novembro no Rio Pardo, em Barretos

A decisão de soltura é assinada pelo desembargador Péricles Piza, da 1ª Câmara de Direito Criminal. Para ele, os elementos que existem no processo não sustentam a prisão da mãe do menino, morto em novembro em Ribeirão Preto.

Relembre o caso

Guilherme Longo foi apontado pela polícia como culpado pela morte da criança e responderá por homicídio doloso triplamente qualificado. De acordo com o promotor Marcus Túlio Nicolino, o pedido de prisão contra Natália foi feito porque, segundo ele, a mulher teria sido omissa no caso.

Cronologia:

Dia 5/11
Joaquim Pontes Marques, de 3 anos, desaparece após ter sido colocado para dormir em seu quarto, por volta da meia-noite, em Ribeirão Preto, interior de SP.

Dia 6/11
O delegado Paulo Henrique Martins de Castro pede a prisão do casal.

Dia 7/11
A Justiça nega o pedido.

Dia 10/11
O corpo de Joaquim é encontrado no Rio Pardo. À noite, a Justiça decreta a prisão, por 30 dias, da mãe do padrasto. Exames do IML apontaram que não havia água nos pulmões da criança, o que afastou a hipótese de afogamento.

Dia 11/12
A psicóloga Natália Ponte, mãe do menino, deixa a Cadeia Feminina de Franca, no interior de São Paulo após habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Dia 4/1
O Tribunal de Justiça de São Paulo decreta a prisão de Natália Ponte.

Dia 10/1
Natália ganha habeas corpus para sair da penitenciária de Tremembé






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Protesto pede autonomia para o IBGE

  • Protesto pede autonomia para o IBGE
  • Devo ou não contratar a garantia estendida?
  • Todas as informações sobre o produto têm de ser claras



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo