ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Esportes

Boxe: Ali x Foreman, a luta do século, completa 35 anos

Combate foi exemplo de que competência, determinação e inteligência podem tornar possível uma vitória

30 de outubro de 2009 | 9h 08
Wilson Baldini Jr. - O Estado de S. Paulo

Foi uma luta de boxe que inspirou o livro de um famoso escritor (Norman Mailer) e um documentário ganhador do Oscar (Quando Éramos Reis). O duelo entre Muhammad Ali e George Foreman, em 30 de outubro de 1974, em Kinshasa, no Zaire (atual Congo), foi mais que uma disputa pelo título mundial dos pesos pesados do boxe. É o maior exemplo esportivo de que a competência e a determinação, aliadas a uma boa dose de inteligência, podem tornar qualquer resultado possível.

Ali atinge Foreman no oitavo assalto, garantindo a vitória por nocaute na histórica luta de 1974 - Ed Kolenovsky/AP - 30/10/1974
Ed Kolenovsky/AP - 30/10/1974
Ali atinge Foreman no oitavo assalto, garantindo a vitória por nocaute na histórica luta de 1974

Veja também:
link
DEPOIMENTO - No quintal de Mobutu
forum QUIZ - Teste seus conhecimentos sobre a luta
blog BLOG DO BALDINI - Assista ao oitavo round e opine

A maioria dos especialistas dos Estados Unidos temia pela vida de Ali. Mas o ex-campeão, mais velho (32 anos contra 25), menos pegador (31 nocautes em 44 vitórias contra 37 nocautes em 40 triunfos), porém muito mais esperto, se esquivou dos violentos golpes do rival com maestria, caminhou no ringue como um bailarino e atacou com precisão no momento certo. O nocaute veio aos 2min58 do oitavo assalto, após uma inesquecível aula de Ali, que vencia para os três jurados: 68-66, 70-67 e 69-66 .

Ali x Foreman foi o primeiro evento do empresário Don King, que levou a luta para a África, na época sob o regime do ditador Mobutu Sese Seko. O duelo fez parte de um festival de música, que reuniu James Brown, Celia Cruz, Fania All-Stars, B.B. King, Miriam Makeba e The Spinners. Cada lutador recebeu US$ 5 milhões.

Mais de 60 mil torcedores foram ao Stade du 20 Mai e tiveram de esperar até a madrugada, pois o horário foi armado para privilegiar a transmissão para os EUA. O estilo falastrão, político e simpático de Ali ganhou o apoio do público, que não se cansou de gritar "Ali, boma ye" (Ali, mate-o). Sisudo e caladão, Foreman era respeitado, mas não amado pelos africanos.

 A FRASE
 Muhammad Ali
 Sobre o golpe da vitória na luta
 "Nunca pensei que um punho pudesse carregar tanta potência. Nunca havia ouvido o som do medo em meu córner"
A luta foi eletrizante desde os primeiros segundos. "Nunca pensei que um punho pudesse carregar tanta potência", afirmou Ali, no livro Sou o mais Poderoso, ao se referir sobre a força de Foreman. "Nunca havia ouvido o som do medo em meu córner", continuou o desafiante, que revelou ter sido atingido com força no segundo assalto. "Minha cabeça vibrava como um diapasão."

O terceiro round era apontado pelos técnicos de Foreman, Sandy Sadller e Archie Moore, como o momento certo para o nocaute. Ele não veio. Pior. Ali não parava de acertar o rosto de Foreman, que demonstrava cansaço. O quinto round foi incrível. A troca de golpes é uma das mais empolgantes da história. Os dois sentiram o castigo, diminuíram o ritmo até a decisão no oitavo. Ali aproveitou um descuido para acertar uma sequência de três fortes golpes. Foreman foi caindo em câmera lenta. Detalhe: Ali poderia ter castigado o adversário, desguarnecido, mas, elegante, deixou o rival desabar na lona. Inesquecível.

VIDA
Muhammad Ali, 67 anos, e George Foreman, 60, são um sucesso também fora dos ringues. Depois de ganharem muito dinheiro em suas carreiras, dois dos maiores nomes do pugilismo em todos os tempos seguem acumulando fortuna.

Muhammad Ali abandonou os ringues em 1981, depois de se sagrar três vezes campeão mundial dos pesos pesados. Três anos mais tarde os médicos diagnosticaram sintomas do Mal de Parkinson no eterno campeão. A doença lhe tirou boa parte da mobilidade, mas não o entusiasmo e a motivação para seguir no trabalho e na divulgação do islamismo, religião que adotou nos anos 60.

Por várias vezes, Ali mostrou que seu passaporte segue com grande atividade. Em média, são mais de 250 dias em viagens internacionais. Seu nome está vinculado a vários produtos esportivos. O último contrato foi assinado com a Everlast. A marca escolheu Ali para festejar o seu centenário.

 O NÚMERO

80 milhões

de dólares investiu Muhammad Ali para construir um museu em Louisville
Em novembro de 2005, Ali fundou um museu em Lousville, sua cidade natal. Investiu US$ 80 milhões em uma obra gigantesca. Tudo sobre o ex-campeão está reunido em um lugar maravilhoso.

Foreman seguiu caminhos diferentes, mas atingiu o sucesso da mesma forma. Big George abandonou os ringues pela primeira vez em 1977. Voltou dez anos depois e ganhou o título mundial em 1994, aos 45 anos, ao nocautear Michael Moorer.

Ganhou muito dinheiro, mas ficou ainda mais milionário, ao filiar seu nome com uma marca de grill. Foram mais de US$ 100 milhões para sua conta bancária. A exemplo de Ali, Foreman também viaja pelo mundo. Esteve no Brasil, em 2003.

Atualmente, divide suas atenções com a carreira de George Foreman III, que iniciou em junho sua carreira profissional. Ele soma três vitórias por nocaute. Mas, provavelmente, nunca irá atingir o nível do pai.


Arquivo/AP
George Foreman cai após o golpe de Muhammad Ali, que é afastado pelo árbitro, no oitavo assalto




Saiba mais sobre Wilson Baldini Jr. no Google



Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

VÍDEOS


Siga o Estadão

Programação da TV

  • 20/04 Agora

    Hull City x Arsenal

    Futebol | Campeonato Inglês

    FOX Sports
  • 20/04 Agora

    Grêmio x Fluminense

    Futebol | Copa do Brasil Sub-17

    ESPN Brasil
  • 20/04 Agora

    Jogo

    Tênis | Torneio Challenger de São Paulo

    BandSports
  • 20/04 Agora

    Everton x Manchester United

    Futebol | Campeonato Inglês

    FOX Sports
  • 20/04 Agora

    Stuttgart x Schalke

    Futebol | Campeonato Alemão

    ESPN Internacional
Programação completa

20 anos sem Dener

  • 20 anos sem Dener
  • Lúcio acredita no título da seleção brasileira na Copa
  • Lúcio fala sobre o Brasileiro e compara Kleina com técnico da Suíça



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo