A fantástica fábrica de balas coloridas

Fazer bala artesanalmente parece lúdico. Vem à mente a imagem de um grande elástico de açúcar colorido voando pelo ar. Puxado e repuxado. Para lá e para cá. Uma, duas, mil vezes.

Janaina Fidalgo, O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2010 | 00h39

Ver a cena ao vivo tem, de fato, um quê de diversão. Mas só para quem está do lado de fora do balcão - especialmente quando você gosta de bala e ganha um teco de uma recém-preparada, ainda molinha e quente.

Foi assim, no papel de cliente (e recebendo um pedaço "morninho"), que a arquiteta Mariana Charf se encantou com uma loja de balas em Nova York e teve a ideia de passar para o outro lado do balcão. Na próxima quinta-feira, ela e a sócia, a designer Maya Yendo Dias, abrem a Papabubble, filial de uma loja de balas que existe há sete anos em Barcelona - além de NY, a marca tem ainda filiais em Tóquio, Amsterdã, Seul e Taipei.

Durante a visita à loja paulistana, em Pinheiros, a reportagem do Paladar acompanhou a produção de algumas balas. Apesar de parecer divertido, produzir balas é um trabalho pesado. Há que se carregar panelas grandes e pesadas cheias de calda de açúcar pelando. Corre-se o risco de queimar a mão ao manusear a massa ainda quente. E se você perder o "tempo da bala", a produção toda fica comprometida. A mistura deve estar suficientemente quente para ser modelada e não pode cristalizar nem endurecer antes da hora. Um erro ao montar o desenho também compromete uma leva inteirinha de balas.

Para aprender todo o processo, da preparação da calda (feita com açúcar, água, glucose e a essência que definirá o sabor) à modelagem e corte, Mariana e Maya passaram três meses treinando entre Barcelona e Amsterdã. "É supercansativo, é um trabalho braçal mesmo", diz Maya. "Mas, ao mesmo tempo você tem de imaginar tudo em 3D, para não errar ao montar o desenho dentro da bala que depois aparecerá quando ela for cortada."

Todo o processo de confecção será feito na frente dos clientes, que terão mais de 40 sabores para escolher, entre eles alguns bem brasileiros, como açaí e jabuticaba, e outros que devem agradar aos adultos, como caipirinha e mojito. Quem quiser, poderá encomendar balas personalizadas, com nomes e desenhos exclusivos. Mas, nesse caso, o pedido mínimo é grande: 10 kg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.