Abinee prevê déficit recorde em eletrônicos em 2006

O déficit comercial na área de eletrônicos projetado para este ano no País ficará em US$ 9,5 bilhões ante US$ 7,4 bilhões em 2005. O resultado negativo da balança do setor, em 2006, será o maior da história. Para o ano que vem, a previsão é de que o déficit cresça 29%, atingindo US$ 12,3 bilhões. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 7, e fazem parte das estimativas para o fechamento de 2006 e de 2007 feitas pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). O faturamento do setor em 2006 deve ficar R$ 105,67 bilhões, uma variação de 14% sobre o ano anterior. Para 2007, a estimativa é de um crescimento de 15% para R$ 121,4 bilhões. Apesar do aumento nos déficits comerciais, o número de empregados no setor será, neste ano, de 143 mil pessoas e, para o ano que vem, serão, pelo menos, 10 mil funcionários a mais do que em 2006. Exportação A balança comercial indica que, neste ano, o setor exportará US$ 9,2 bilhões e importará US$ 18,7 bilhões. Para 2007, a Abinee projeta crescimento de 9% das exportações, para US$ 10 bilhões, enquanto as importações devem subir 19% para US$ 22,3 bilhões. Pelos dados da Abinee, o maior faturamento do setor vem do segmento de Informática, que, em 2006, deve totalizar R$ 29,3 bilhões (alta de 22% ante 2005), crescendo 23%, para R$ 36,9 bilhões, em 2007. Em seguida, vem o setor de Telecomunicações, com faturamento previsto para este ano de R$ 17,6 bilhões (incremento de 7% sobre 2005), com expansão de 8%, para R$ 19 bilhões, em 2007.

Agencia Estado,

08 Dezembro 2006 | 08h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.