Abram alas para Alice Waters

Chef americana é indicada ao Hall da Fama da Califórnia

Cíntia Bertolino, especial para o Estado,

09 Dezembro 2008 | 14h54

Quando ninguém sabia direito o que comer na Califórnia, quando os bons restaurantes, acreditava-se, ficavam todos na costa leste americana, Alice Waters abriu o Chez Panisse, em 1971, em Berkeley. Agora, ela receberá uma honraria por ter feito pela gastronomia da costa oeste americana o que ninguém tinha conseguido até então: criar um restaurante que realmente valia a pena visitar.   No dia 15 de dezembro, a chef americana fará companhia a Jack Nicholson, Jane Fonda e ao químico Linus Pauling, entre outros,  no Hall da Fama, evento organizado pelo Museu da Califórnia.   Desde sua fundação, o  Chez Panisse, defende uma cozinha sazonal que privilegia os melhores produtos. Na cozinha da chef, entusiasta dos orgânicos e dos pequenos produtores, o ingrediente é o elemento mais importante. Seguindo essa filosofia, o Chez Panisse serve um menu, a preço fixo, que muda diariamente e tem produtores locais como fornecedores. O Chez Panisse acabou sendo um movimento, que agregou outros restaurateurs da região, como Thomas Keller e seu French Laundry e o importador de vinhos Kermit Lynch.   No excelente The Art of Simple Food, ela fala brevemente sobre alimentação sustensável e orgânicos, para, em seguida, concentrar-se em explicar de forma clara e objetiva suas receitas inspiradoras.   Em 1996, Alice Waters criou o Chez Panisse Foundation, uma organização dedicada à educação que envolve crianças no cultivo e na preparação do que vai virar comida. Bravo, Alice!

Mais conteúdo sobre:
Alice Waters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.