Alckmin discute projeto de cotas com ativistas

O governador Geraldo Alckmin recebeu ontem ativistas pró-cotas em audiência no Palácio do Bandeirantes e discutiu a proposta de inclusão de alunos de escolas públicas e de pretos, pardos e índios na USP, Unesp e Unicamp - projeto revelado pelo Estado na semana passada.

CARLOS LORDELO, O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2012 | 02h03

A ONG Educafro propôs que as instituições usem um método inspirado no da Universidade Federal do Paraná para a seleção pelo critério racial. Primeiro, as vagas reservadas seriam ocupadas por candidatos autodeclarados pretos, pardos ou índios. Depois, haveria um prazo para que quem se julgasse injustiçado por ter ficado de fora pudesse recorrer. Pelo projeto, metade das vagas reservadas seria para alunos com renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo por pessoa; e 35% para pretos, pardos e índios. O resto iria para egressos da rede pública, independentemente da renda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.