1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Alckmin reforçará combate às drogas perto da Paulista

Diego Zanchetta, Bruno Ribeiro e Luís Lima - O Estado de S. Paulo

16 Fevereiro 2014 | 12h 01

Além da assistência ambulatorial aos dependentes, governador ressaltou ação policial contra traficantes

São Paulo - (atualizado às 21h24) O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou neste domingo que o Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Tráfico de Drogas (Denarc) vai fazer a prisão dos organizadores do tráfico de drogas nas ruas do entorno da Avenida Paulista. Ele disse ainda que a polícia fará "uma ação vigorosa nesta região, como faz em todas as regiões do Estado".

Conforme reportagem publicada no domingo pelo Estado, traficantes se aglomeram na Rua Peixoto Gomide, no quarteirão entre as Ruas Augusta e Frei Caneca, oferecendo maconha, comprimidos de ecstasy, cartelas coloridas de LSD e gotas de GHB (anestésico também usado como estimulante sexual), aos gritos, como se fosse uma feira livre do tráfico. O público consumidor é composto principalmente por jovens que não têm idade para entrar nas baladas da região, frequentadores de bares GLS da área e também turistas estrangeiros.

Apesar das palavras enfáticas do governador para tratar da repressão, quando foi questionado sobre a situação da área, Alckmin ressaltou primeiro ações de seu governo para o auxílio a dependentes químicos.

"Primeiro, temos de ajudar o dependente químico. A dependência química é doença. O Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod) está funcionando 24 horas por dia, de segunda a segunda. Criamos a Rede Recomeço, inclusive com cartão para as comunidades terapêuticas. E passamos de 360 para 1.100 leitos para dependentes químicos. Inclusive, acabamos de inaugurar um hospital em Botucatu", disse Alckmin.

Na sequência, ele tratou da segurança: "De outro lado, combate duro ao tráfico de drogas. São Paulo está com 213 mil presos, um fato recorde que até nos entristece, e grande parte é resultado do tráfico de drogas e de crimes relacionados", afirmou o governador ao Estado, durante evento em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

O Cratod fica no Bom Retiro, região central da cidade, e é referência para atendimento de usuários de droga também da região da Cracolândia.

Polícia. A reportagem pediu entrevista com o secretário de Estado da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, e enviou perguntas à Pasta. A reposta foi uma nota com aspas da diretora do Denarc, delegada Elaine Biasoli.

"A reportagem publicada pelo Estado vai contribuir com nosso trabalho", disse a delegada, segundo a nota, que não explica o motivo de a situação chegar àquele ponto no local - afirma apenas que o Denarc já estava investigando denúncia de tráfico de drogas na Rua Peixoto Gomide. "A investigação continuará com o trabalho de inteligência que já havia sido iniciado. Também serão realizadas diligências para identificar e prender traficantes, além da origem da droga que chega à região central da cidade", afirma o texto.

A nota segue: "(A delegada) Elaine informa que o Denarc prendeu um traficante de drogas próximo ao local, na Rua Rego Freitas, no último dia 8. Além disso, a região central recebe rotineiramente ações do Denarc para coibir o tráfico de drogas".

O texto diz que os detalhes do trabalho policial não podem ser revelados para não atrapalhá-los. A nota chega a dar o telefone da diretoria do Denarc caso alguém tenha alguma denúncia a fazer: (11) 3813-1884.

A Segurança Pública não deu o número de prisões feitas na rua. Informou apenas os dados de toda a 1.ª Companhia do 7.º Batalhão de Polícia Militar que inclui parte do centro e dos Jardins. Foram 390 detenções e apreensão de 8,3 quilos de drogas em 2013. Os números de 2014 não foram passados.