1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


Ampla safra de trigo pressiona preços no PR e RS, diz Cepea

REUTERS

26 Agosto 2014 | 16h 18

Os preços do trigo caíram no Paraná e no Rio Grande do Sul na última semana, com a proximidade da chegada ao mercado de uma safra recorde, mas subiram em São Paulo, após o fim de uma isenção tarifária para importações, disse nesta terça-feira o Cepea.

"Moinhos seguem com estoques satisfatórios, sem a necessidade de compras no curto prazo, cenário que limita a liquidez e mantém as cotações em queda. Somente negócios pontuais têm sido realizados", disse o centro de pesquisas ligado à Universidade de São Paulo.

Em São Paulo, no entanto, houve ganhos nos últimos dias em parte relacionados à volta da Tarifa Externa Comum (TEC), de 10 por cento, que havia sido retirada na importações de uma cota de trigo de fora do Mercosul, e também pelas condições climáticas desfavoráveis.

Na semana de 18 a 25 de agosto, o valor do trigo no mercado de balcão (pago ao produtor) caiu 3,3 por cento no Rio Grande do Sul e 2,3 por cento no Paraná.

No mercado de lotes (negociações entre empresas), os recuos foram de 5,8 por cento no Rio Grande do Sul e de 0,3 por cento no Paraná. Em São Paulo, houve alta de 3,4 por cento, informou o Cepea.

No Paraná, principal produtor do grão no país, a colheita já começou, o que ajuda a pressionar as cotações na região.

Na região das cidades de Londrina e Maringá, a área colhida já chega a 8 a 10 por cento. No total do Estado, 2 por cento da área foi colhida, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), do governo do Estado.

Já o Rio Grande do Sul, segundo principal produtor, as lavouras estão ainda em desenvolvimento vegetativo.

O Brasil deverá colher uma safra recorde de 7,5 milhões de toneladas em 2014, segundo estimativa mais recente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

(Por Gustavo Bonato)