Após ''Thriller'', presos filipinos vão dançar sucesso de Vanilla Ice

Vídeo com dança ao som de Michael Jackson foi visto 1,3 milhão de vezes no YouTube.

BBC Brasil, BBC

26 Julho 2007 | 16h40

Depois de se transformar em um sucesso da internet com o vídeo que mostra a coreografia para a música Thriller, presos nas Filipinas se preparam agora para dançar Ice Ice Baby, sucesso de Vanilla Ice. Veja o vídeo Centenas de prisioneiros do Centro de Detenção e Reabilitação da Província de Cebu, todos vestidos com macacões laranja, atraíram a atenção do mundo todo no YouTube. Eles reproduziram a coreografia do clássico clipe de Michael Jackson para a música Thriller. O vídeo já foi visto mais de 1,3 milhão de vezes. Os detentos já dançaram ao som de In The Navy e YMCA, do Village People, e já têm outras duas coreografias sendo ensaiadas, além do sucesso de Vanilla Ice. As coreografias foram uma idéia de Byron Garcia, um consultor de segurança do governo da província de Cebu. Ele afirma que a nova rotina de exercícios melhorou "drasticamente" o comportamento dos presos e dois ex-detentos se transformaram em dançarinos desde então. A dança é obrigatória para todos os 1,6 mil detentos na prisão de Cebu, exceto para os idosos e doentes. Além das danças já citadas, os prisioneiros já fizeram coreografias de músicas de artistas locais, do grupo Queen e do filme Mudança de Hábito, cujos clipes os detentos viram milhares de vezes no próprio YouTube, onde hoje eles são sucesso. "Usando a música, você pode envolver o corpo e a mente. Os prisioneiros têm que contar, memorizar passos e seguir a música", disse Garcia à BBC. "Os prisioneiros me dizem: ''Você precisa colocar sua mente longe da vingança, da loucura ou de planos para escapar da prisão ou se juntar a uma gangue''", acrescentou Garcia. As coreografias começaram em 2006, depois que Garcia começou a fazer os prisioneiros marcharem ao som de músicas como Another Brick in the Wall, do Pink Floyd, para aumentar a participação dos detentos nos exercícios. O próprio Garcia ficou surpreso pela popularidade mundial dos clipes, que ele colocou na internet para dividir suas experiências com outras autoridades penitenciárias. "Queria mostrar a eles que estou fazendo algo de sucesso aqui, para mostrar a disciplina em ação", disse. Mas o vídeo se transformou em uma fonte de muito orgulho para os prisioneiros. "Os detentos estão muito felizes com o interesse, eles sempre falam disso e perguntam como tantas pessoas assistiram (à coreografia) no YouTube", disse Garcia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.