Apple pode cortar preço do iPhone, dizem analistas

O iPhone da Apple pode ter sido anunciado por um preço bem maior do que o que realmente será praticado, o que permitiria à Apple negociar suas margens e estabelecer descontos na negociação com as empresas. É o que afirma relatório da empresa de pesquisas iSuppli, que analisou os custos de produção do telefone/tocador a partir da soma dos custos de seus componentes, o que indicaria que o modelo de 4 GB, que custará US$ 499, terá um custo de US$ 229,85. Junte a isso os custos de montagem e o preço de produção subirá para US$ 245,83. Para o modelo de 8 GB, os custos de componentes e de montagem seriam, respectivamente, US$ 264,85 e US$ 280,83 para um preço final de US$ 599. A empresa indica que nenhuma companhia pode manter margens tão elevadas por muito tempo, sob risco de perder terreno para produtos concorrentes. Aplicado esta lógica, e usando as margens de telefones com recursos multimídia de outros fabricantes (em torno de 20%), o preço final do iPhone de 8 GB cairia para cerca de US$ 350, sem contar os subsídios extras que ficariam a cargo das operadoras.

Agencia Estado,

19 Janeiro 2007 | 17h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.