Assumindo o estilo de vida blogueiro

Multitarefa, Lilian, que já estava presente no rádio, na TV e no jornal, também publica suas críticas de moda na internet

Juliana Rocha,

18 Agosto 2008 | 00h00

Lilian Pacce entende tudo de moda. E, como os blogs estão na moda, ela acaba de criar um. "Os blogs nunca deixarão de ser uma tendência. São uma linguagem sem volta", afirma. Com a ajuda de outros cinco profissionais – "pois é muito difícil tocar um espaço atualizado full time sozinha" –, a estilosa jornalista e apresentadora do programa de televisão GNT Fashion ajusta os últimos detalhes de seu recém-lançado espaço na internet (www.lilianpacce.com.br). Na última semana, por exemplo, estrearam os posts dos infohunters, como foram batizados os leitores que desejam colaborar com a produção de conteúdo e enviam notas e fotos do mundinho pelo e-mail de contato do blog. "Essa foi uma resposta aos pedidos dos leitores, que queriam participar além dos comentários. Eu não esperava por essa demanda, mas sempre estarei aberta aos que têm interesse em participar." Para breve, podemos esperar desfiles esmiuçados em "miguxês" (aquela maneira de escrever cheia de "s" e "x" usada especialmente por jovens viciados em mensageiros instantâneos e detestada por professores de português). "A internet pede uma coloquialidade. Você precisa ser mais solto. Ainda é uma discussão dentro da equipe, mas eu acho que o blog deveria adotar essa linguagem de teclado." Embora novos posts surjam a uma média de dez ou 12 todos os dias, Lilian garante não trabalhar com a pressão por um número pré-determinado de atualizações. "Imagino que outros blogs não tenham esse ritmo, mas é assim porque sempre há lançamentos e coisas acontecendo no mundo da moda." A jornalista, que freqüentou os bancos da London College of Fashion e da Saint Martin's School of Fashion, quer mais é inovar online. "No blog, posso colocar as informações que não cabem no jornal ou na TV. É um espaço para apostas", diz. "Já estamos bem melhores do que quando começamos, há um mês. A audiência tem crescido e fomos até citados pela bíblia da moda, a WWD, o que é uma honra". Muitas das apostas – como um especial com blogueiros trocando suas mochilas por baby bags (e sofrendo para fazer caber todos os pertences no formato reduzido), mais up-to-date com as prescrições da estação – estão registradas em vídeos, o diferencial do blog. "Embora eu não abra mão de um bom texto, o vídeo é a linguagem que mais se aproxima do objeto. E ensina muito às pessoas: pelo vídeo, elas conseguem ver um gesto, o clima do lugar, um comportamento." Habituada a infra-estruturas robustas, Lilian, que mantém também uma coluna diária na Rádio Eldorado, classifica a produção audiovisual para o blog de "praticamente doméstica, com uma ou duas câmeras digitais pequenas". "Só que a qualidade técnica na internet acaba não sendo o mais importante, justo pela proximidade que o vídeo garante e que faz dele um sucesso." O blog – ou "blogsite", como prefere Lilian devido às seções fixas dedicadas aos looks das ruas, ao trabalho de novos artistas e a iniciativas ambientalmente sustentáveis – forçou a trend-setter a prestar mais atenção às próximas sensações da rede. "Eu era uma hamster de internet, agora precisarei me transformar em uma ratatouille", brinca. "Sempre tive uma total curiosidade quanto ao que estava acontecendo na web, mas agora existe a responsabilidade de identificar tendências." Apressando o ritmo nessa roda viva, Lilian descobriu na penúltima quinta-feira o Twitter. Ela está entusiasmada com a ferramenta. Garante que irá aliar as mensagens de 140 caracteres passíveis de serem postadas via celular à potência de seu smartphone para cobrir as fashion weeks. A experiência está prevista para ocorrer nos eventos de Nova York e Milão – os próximos em sua agenda – e assim que a assistência técnica autorizada consertar o celular. "Eu estava adorando, mas agora deu um probleminha: não está conversando como deveria com o computador", conta Lilian, bem-humorada. Um gostinho das atualizações via celular, porém, ela já teve no último fim de semana. Tanto as imagens como a nota sobre o encontro com Rafael Jimenez, criador do Iqons – uma espécie de MySpace da moda – foram feitas e transmitidas do aparelho móvel. "Foi super rápido. Em menos de uma hora o conteúdo estava pronto", diz. Roubando segundos ao tempo dedicado ao trabalho com ajuda da tecnologia, a mulher multitarefa dá conta ainda de jogar pela web com o filho. "Eu tento ser parceira, e ele vive me pedindo pelo MSN para jogar xadrez e damas online. Quando posso, eu jogo", entrega. Favoritos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.