Banco do Brasil e Visanet adotarão celular em pagamentos

O Banco do Brasil (BB) fechou acordo com a Visanet para lançar até junho um sistema que possibilita o uso do celular como meio de pagamento, em substituição aos cartões de crédito e débito. Os testes da nova tecnologia, desenvolvida pela equipe do BB, começarão em março. O sistema, conhecido como "mobile payment" (pagamento móvel), permite ao cliente efetuar uma compra autorizando, por meio de senhas, a operação pelo celular. De acordo com Raul Moreira, gerente-executivo de Banco Eletrônico do BB, o novo sistema poderá elevar o número de clientes do banco que usam o celular em transações financeiras dos atuais de 310 mil para 1 milhão até o fim do ano. Com a iniciativa do BB, acirra-se a disputa por um mercado que poderá corresponder a 10% dos 50 bilhões de transações eletrônicas previstas para 2010, de acordo com estimativa do consultor Maurício Ghetler, da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). No ano passado, as transações eletrônicas chegaram a 35 bilhões. Mobilidade No Brasil, o HSBC foi o primeiro a lançar o sistema para cliente pessoa física, em outubro. Já o BankBoston lançou o serviço para pessoa jurídica. Os pagamentos móveis serão o tema principal do Congresso Internacional de Automação Bancária (Ciab), organizado pela Febraban e previsto para junho. "Este é o ano da mobilidade", afirma Ghetler. "O Brasil já tem cerca de 100 milhões de celulares, número que supera o de cartões de crédito, que chega a 80 milhões. Ou seja, precisamos pensar na operação, e não no plástico." O consultor explica que, a princípio, o grande potencial de crescimento das operações de crédito e débito no Brasil seria com operações de valores abaixo até R$ 20. Em suas contas, o número de transações em dinheiro chega a 120 bilhões por ano, enquanto as operações com cartão de crédito alcançam 2 bilhões. Como funciona Segundo Moreira, do Banco do Brasil, o novo sistema terá como foco inicial as operações consideradas "não presenciais", aquelas em que o consumidor compra algum produto a distância, como alimentos. O cliente informa ao comerciante que pagará por meio do celular. O caixa do estabelecimento digita o número do celular no equipamento da operadora de cartão de crédito ou débito, que informa a operação ao banco. Este envia ao cliente uma mensagem de texto SMS, o chamado torpedo, anunciando a cobrança. Para confirmar a operação, o cliente usa senha e o sistema de navegação pela internet do celular. Dependendo da operadora de telefonia, o serviço poderá custar de R$ 0,15 a R$ 0,50, variando de acordo com o tipo de transação, o tipo de tecnologia adotada pela operadora e o plano de serviços, além de tarifas do banco, ainda a serem definidas, para garantir a manutenção do sistema.

Agencia Estado,

11 Janeiro 2007 | 17h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.