1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


BHP anuncia plano de cisão e não realiza recompra de ações

REUTERS

19 Agosto 2014 | 08h 47

A maior mineradora do mundo, a BHP Billiton, anunciou planos para alienar ativos somando estimados 16 bilhões de dólares, a maioria adquiridos na fusão em 2001 com a Billiton, para focar em atividades mais rentáveis.

A companhia, porém, não anunciou uma recompra de ações, decepcionando investidores que esperavam receber cerca de 5 bilhões de dólares.

O presidente-executivo da empresa, Andrew Mackenzie, no cargo há pouco mais de um ano, disse que a decisão amplamente esperada para simplificar a BHP em volta dos "quatro pilares" de minério de ferro, cobre, carvão e petróleo incentivará o crescimento do fluxo de caixa e impulsionará os retornos.

"Ao nos concentrarmos no que fazemos melhor, o desenvolvimento e a operações de grandes bacias, podemos melhorar ainda mais nossa produtividade, mais rapidamente e com maior certeza", disse Mackenzie em comunicado.

A compania resultante da cisão, apelidada de NewCo por enquanto, reunirá ativos de aluminínio, manganês, o projeto de níquel Cerro Matoso na Colômbia, carvão no sul da África e alguns ativos de carvão metalúrgico da Austrália e a mina Cannington de prata, chumbo e zinco.

A BHP confirmou a cisão ao divulgar uma alta de 8 por cento no lucro subjacente atribuível do segundo semestre fiscal, para 5,69 bilhões de dólares, pouco abaixo de uma previsão média de 5,94 bilhões de dólares entre analistas, segundo a SmartEstimate da Thomson Reuters Starmine.

A BHP disse que cortou 2,9 bilhões de dólares em custos no ano fiscal de 2014, e acrescentou que espera alcançar outros 3,5 bilhões de dólares em economias durante os próximos três anos.

A BHP não informou o valor da nova companhia, mas três analistas estimaram que pode valer entre 15 bilhões e 17 bilhões de dólares.

(Por Sonali Paul e Silvia Antonioli)