Brasil fecha até abril encomenda do laptop de US$ 100

O governo federal vai decidir até abril se irá comprar 1 milhão de computadores portáteis educacionais da taiwanesa Quanta, dentro do escopo do projeto do laptop de US$ 100, da ONG OLPC, ao custo total de cerca de R$ 325 milhões. A organização não-governamental One Laptop Per Child (OLPC - Um laptop por criança), criada pelo pesquisador Nicholas Negroponte, co-fundador do Media Lab, do Massachusetts Institute of Technology (MIT). A entidade concebeu essas máquinas como uma revolucionária ferramenta de aprendizagem para iniciar no mundo digital as crianças de escolas públicas de países pobres. Numa estratégia de marketing para atrair parceiros - empresas como AMD, Brighstar, Google, Marvell, News Corp. e Nortel investiram, cada uma, US$ 2 milhões no programa - Negroponte batizou os protótipos de laptops de US$ 100. É certo que o custo ainda é mais alto do que o esperado - está em torno de US$ 150 cada computador -, mas Negroponte acredita que o patamar poderá ser alcançado em 2008. A OLPC encomendou uma primeira leva de 5 milhões de laptops à Quanta, para ser entregue neste ano. O quinhão destinado ao Brasil, conforme conversas com o governo federal, seria de 1 milhão de máquinas. Os outros 4 milhões destinam-se a outros países simpáticos ao programa, como a Argentina, a Líbia, a Nigéria e a Tailândia. Outro micro que está sendo avaliado é o laptop da Intel, o Classmate, que deverá custar cerca de US$ 400, podendo ser montado no Brasil em parceria com empresas brasileiras como a Positivo e a CCE.

Agencia Estado,

16 Janeiro 2007 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.