Cafeicultor segura a safra à espera de melhor preço

A comercialização de café está bastante calma, apesar de alguns bons lotes negociados na semana passada. ''''O mercado está muito curto de vendedor'''', informa um corretor de Santos (SP). O produtor tem à disposição nos bancos crédito para financiar a comercialização e a estocagem, além do subsídio já contratado por meio de dois leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro), para 5 milhões de sacas. Isso dá fôlego para segurar o produto à espera de melhores preços. SITUAÇÃO DESCONFORTÁVEL De acordo com a fonte, o exportador está em situação desconfortável, por causa do câmbio, e evita antecipar negócios. O setor reclama que é temeroso vender ao exterior para depois ter de comprar no físico e realizar prejuízo, avalia o corretor. No fim da tarde de segunda-feira, o real seguia valorizado em relação ao dólar. No Espírito Santo, em particular no norte do Estado, a seca prossegue por cerca de 60 dias, segundo informa um corretor de Vitória.

Tomas Okuda, O Estado de S.Paulo

25 Julho 2007 | 02h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.