Câmeras estão 20% mais baratas

Mercado fotográfico é aquecido nas vésperas da PhotoImageBrazil, feira que traz lançamentos de 250 marcas

Lucas Pretti,

11 Agosto 2008 | 00h00

As câmeras digitais estão mais baratas porque vendem muito ou elas vendem como água porque o preço caiu? Independente da resposta, quem sai ganhando são os consumidores. Em um ano, câmeras fotográficas digitais tiveram o preço reduzido em pelo menos 20% no Brasil e o crescimento anual das vendas manteve o ritmo de 36%. Os números foram divulgados na semana passada pelo GfK Marketing Services e a "comemoração" começa amanhã. Sem a presença dos consumidores. Durante a 16ª edição da feira PhotoImageBrazil, apenas fotógrafos e profissionais do setor verão as novidades mostradas por mais de 150 expositores no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (se você é um deles, corra para se credenciar em www.photoimagebrazil.com.br). Mas os lançamentos das 250 marcas presentes no evento – entre elas Panasonic, Sony, Canon, Kodak, Nikon e Fujifilm – logo estarão no mercado. A pesquisa do GfK fez um retrato do consumidor brasileiro de câmeras digitais. Os equipamentos mais adorados têm entre 7 e 7,9 megapixels, visor de até 2,5 polegadas, zoom ótico de 3 vezes e custam entre R$ 500 e R$ 599. Alguns anos depois do "boom" das câmeras digitais, os brasileiros ainda estão atrás da primeira máquina da família, já que itens como design, bateria, zoom, estabilizador de imagens e detector de sorrisos são vistos como objetivos secundários na hora da compra, feita em 47% das vezes em lojas de departamento e não especializadas, de acordo com o IDC. Apesar da queda acentuada de preços, o Brasil ainda sofre com impostos altos de importação e fechou a sondagem como o país da América Latina onde as câmeras são mais caras: US$ 346, em média, seguido pela Argentina (US$ 189) e pelo Chile (US$ 87). "O fator determinante para a compra ainda é a capacidade de resolução da imagem", afirma o gerente de negócios do GfK, Bernardo Tinoco. Os expositores da PhotoImageBrazil, porém, estão menos interessados no padrão. Vão levar para o galpão lançamentos e inovações para quem quer tirar fotos com o máximo de tecnologia disponível. O Link selecionou ao lado alguns dos principais produtos que aparecerão por lá pela primeira vez. O evento dura só três dias, o suficiente para movimentar R$ 74 milhões, o marco do ano passado. Além de, com as vendas estimuladas, acentuar o dilema Tostines da fotografia digital no País. FICHA TÉCNICA 16ª FEIRA INTERNACIONAL DA IMAGEM - PHOTOIMAGE BRAZIL DATA | De 12 a 15 de agosto ONDE | Centro de Exposições Imigrantes – Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 HORÁRIOS | Das 13h às 20h WEB | www.photoimagebrazil.com.br PREÇO | Entrada gratuita para profissionais do setor cadastrados no site do evento DETALHES | Feira com novidades de equipamentos e serviços do mercado fotográfico. NÚMEROS 7megapixels É a resolução de 40% das câmeras digitais brasileiras vendidas em junho 2,5 polegadas É o tamanho do visor de câmera digital preferido pelos brasileiros 600 reais É o preço de câmera digital aceito pela maioria dos consumidores como ideal 47% das pessoas compraram câmeras digitais em 2007 em lojas de departamento, em detrimento das especializadas 1º lugar É a posição do Brasil no ranking de preços de câmeras digitais na América Latina 87 dólares É o preço médio de uma câmera no Chile, contra US$ 346 no Brasil 93% das câmeras tinham menos de 5 megapixels de resolução em 2005, há 3 anos Veja alguns dos principais lançamentos

Mais conteúdo sobre:
fotografia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.