Carta de Napoleão ameaçando o Kremlin é vendida por 187.500 euros

Uma carta em que Napoleão Bonaparte ameaçava "explodir o Kremlin" atingiu dez vezes mais o preço esperado num leilão realizado no fim de semana na França.

Reuters

03 Dezembro 2012 | 18h30

Escrita em códigos numéricos, a carta, datada de 20 de outubro de 1812 e assinada por "Nap", foi vendida por 187.500 euros (244.400 dólares), incluindo a comissão e outros custos, segundo a casa de leiloes Osenat.

A estimativa inicial era de 10 a 15 mil euros. O comprador, num lance dado por telefone, foi um museu de manuscritos parisiense. O valor líquido (sem custos adicionais) foi de 150.000 euros.

O especialista em manuscritos Alain Nicolas disse que é raro que uma carta cifrada contivesse assinatura, como é o caso dessa.

"Também temos a transcrição, e obviamente aquela incrível primeira sentença 'Vou explodir o Kremlin às 3h da manhã', provocou uma guerra de lances, uma explosão de lances, e um recorde para uma carta extraordinária escrita em Moscou", disse ele.

A mensagem foi escrita num momento difícil para o imperador francês, quando ele se aproximava do fim de sua campanha russa de 1812, na qual mais de 300 mil soldados franceses morreram.

A batalha nos arredores de Moscou, em setembro daquele ano, é considerada um dos dias mais sangrentos das Guerras Napoleônicas, com pelo menos 70 mil baixas.

Quando Napoleão finalmente entrou em Moscou, o tsar russo já havia saído. Foi então que ele começou a desastrosa grande retirada de Moscou, ordenando que o Duque de Treviso destruísse o Kremlin. Várias das torres do edifício foram destruídas junto a partes de seu muro. O local foi restaurado nos anos seguintes.

(Reportagem de Johnny Cotton)

Mais conteúdo sobre:
HISTORIA NAPOLEAO CARTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.