Casa digital impulsiona vendas de PCs, apesar dos preços

As TVs de alta definição, computadores superequipados para jogos e sofisticados equipamentos de áudio exibidos semana passada na Consumer Electronics Show, em Las Vegas, devem gerar demanda por computadores novos. Apesar disso, preços elevados podem representar obstáculos aos consumidores. De PCs superequipados a microchips voltados a videogames e equipamentos de armazenagem de dados, várias categorias de produtos estão posicionadas para tirar proveito da muito aguardada popularização do conceito de casa digital. Este ano, na CES, a maior feira de produtos eletrônicos de seu tipo dos Estados Unidos, os fabricantes de PCs Hewlett-Packard e Dell exibiram casas digitais equipadas com computadores, monitores, impressoras e televisores. As empresas passaram a chamar os computadores de "servidores domésticos", centros de uma rede sem fio que conecta aparelhos entre si para transmissão de vídeo, filmes em alta definição, programas de TV, músicas, fotos e documentos de um cômodo a outro em uma residência. Mesmo fabricantes de discos rígidos como a Seagate Technology e a Hitachi vêem oportunidade em aparelhos eletrônicos de consumo conforme vídeo em alta definição, fotos e músicas exigem cada vez mais espaço de armazenamento. A Hitachi revelou na semana passada um disco rígido capaz de guardar 1 terabyte de dados. Custo é o problema Mas todos esses avanços têm um preço. A HP e a varejista de produtos eletrônicos Best Buy anunciaram uma casa digital totalmente equipada que inclui um computador da HP conectado a uma TV que funciona como um painel de controle de luzes, segurança e entretenimento digital. O preço? Cerca de US$ 15 mil. A Dell revelou seu próprio pacote de casa digital que inclui um computador XPS 410, alto-falantes sofisticados, monitor tela plana de 27 polegadas e uma central para TV de alta definição. A companhia não revelou o preço do conjunto, que será disponibilizado ao público depois que a Microsoft começar a vender o Windows Vista este mês. Um novo computador da Dell voltado para videogames utiliza um sistema de cerâmica para resfriar seus componentes durante uso intensivo. A máquina tem preço a partir de US$ 5499, mais de 10 vezes o valor inicial de um PC básico da companhia. "As pessoas terão que pagar mais para terem uma máquina sofisticada", disse Shaw Wu, analista da American Technology Research. "Mas para que as vendas sejam realmente motivadas, você precisa de PCs de custo mais baixo. E os custos de componentes terão que cair para motivar as vendas." Dell e HP estão apostando em dispositivos eletrônicos sofisticados para consumidores para aumentarem as margens de lucros de PCs, que estão em cerca de 4% e ficam ainda mais baixas em segmentos de produtos mais básicos. Ambas as empresas estão confiantes de que a casa digital se firmará como realidade, apesar dos preços mais altos. "A rede doméstica se tornará uma realizada, como já está se tornando", disse Satjiv Chahil, vice-presidente de marketing mundial da divisão de PCs da HP. "O PC se redefiniu. Não irá sumir, está se transformando em alto mais excitante."

Agencia Estado,

17 Janeiro 2007 | 10h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.