Cemitérios de SP ganham câmeras para evitar furtos

Na primeira fase serão 90 equipamentos distribuídos em 7 dos 22 cemitérios públicos da capital

AE, Agência Estado

15 Dezembro 2008 | 09h28

Para tantos paulistanos que têm prejuízos com furtos de plaquinhas de bronze, crucifixos e outras lembranças da memória de familiares, a boa notícia é que o Serviço Funerário se prepara para instalar monitoramento por câmeras nos cemitérios da cidade. Na primeira fase, cuja implantação está prevista para este mês, serão 90 equipamentos distribuídos em 7 dos 22 cemitérios públicos de São Paulo. Foram investidos R$ 450 mil - R$ 150 mil em câmeras e o restante em infra-estrutura. "Desde que assumi a diretoria, em 2006, avaliamos a necessidade desse monitoramento eletrônico", afirma o diretor de Segurança, Celso René Vieira. "Como temos limitações de recursos financeiros, montamos um plano de ação. A intenção é que, futuramente, tenhamos câmeras em todos os cemitérios da cidade." Elas serão interligadas ao sistema da Guarda Civil Metropolitana (GCM). Os sete primeiros contemplados são os Cemitérios do Araçá, da Consolação, da Quarta Parada, de Santana, de Santo Amaro, São Paulo e da Vila Mariana. Todos esses - mais o do Tremembé - já contam com policiamento fixo, 24 horas por dia, da GCM que, nos demais, faz apenas rondas periódicas. Alegando questões estratégicas de segurança, a GCM se recusou a divulgar o número de envolvidos nessas operações.

Mais conteúdo sobre:
cemitérios SP furtos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.