China investiga lavagem de dinheiro com moeda virtual

O banco central da China está de olho em uma popular moeda virtual chamada de "Q-coin", que alguns especialistas acreditam que pode ser uma ameaça ao yuan, informou a agência de notícias Xinhua na sexta-feira. A moeda é emitida pela operadora de internet Tencent, para usuários do QQ, uma sistema de bate-papo online que tem cerca de 220 milhões de usuários. A "Q-coin" pode ser comprada com cartões de bancos, cartões telefônicos ou cartões QQ a uma taxa oficial de troca de um yuan (12,5 centavos de dólar) e tinha como objetivo original ser usada para compra de serviços incluindo cartões virtuais, créditos em jogos online do QQ e software antivírus. "Mas muitas pessoas começaram a usar a ´Q-coin´ ao fazer negócios entre elas, e na compra de serviços ofertados em outros sites", segundo a agência Xinhua. Alguns especialistas estão preocupados com a possibilidade da conversão entre a "Q-coin" e o iuan, se não controlada, levar a conseqüências ruins para a economia. Mas um representante do banco central da China descarta a idéia. "Não creio que a ´Q-coin´ esteja ameaçando o iuan, mas de qualquer forma o banco central começou a estudar o assunto", disse Li Chao, porta-voz do Banco Popular da China. "Vamos investigar o dinheiro virtual para ver se ele é usado para lavagem de dinheiro", acrescentou Chao à agência Xinhua.

Agencia Estado,

12 Janeiro 2007 | 17h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.