China tem 2 milhões de jovens viciados em internet

Os adolescentes chineses estão se tornando cada vez mais viciados em internet, o que está causando crimes praticados por internautas mais jovens que os de qualquer outro país, informou a mídia estatal. Dos 18,3 milhões de internautas adolescentes chineses, mais de 2 milhões são viciados na rede mundial de computadores, sendo que os "melhores e que costumam impressionar seus pais e professores" são os mais vulneráveis, de acordo com o jornal China Daily, que citou levantamento da Liga Juvenil Comunista. "Os viciados em internet na China são pelo menos 10 anos mais jovens que os do Ocidente. São mais suscetíveis", publicou o jornal, citando Gao Wenbin, psicólogo da Academia Chinesa de Ciências, órgão do governo. A maioria dos viciados são rapazes com entre 15 a 20 anos de idade, e pelo menos 15% dos que estão nas cidades maiores precisam de "ajuda urgente". Gao culpou a falta de diversões nos colégios pela necessidade dos jovens de recorrer a cibercafés ilegais, onde são expostos a crimes e violência. "Naturalmente recorrerão ao mundo virtual se não puderem encontrar em sua casa ou no colégio escape para sua energia", disse o psicólogo. Na semana passada, outro meio estatal informou que a China viu um aumento de 68 por cento nos casos de delitos juvenis nos últimos cinco anos e que os números continuam aumentando. "O desenvolvimento precoce e cultura da violência são os responsáveis por um aumento nas ações nocivas entre adolescentes menores de 14 anos", publicou o Beijing Morning Post. DVD pirateados, incluindo aqueles que contêm material violento e para adultos, estão disponíveis em qualquer esquina e o uso de videogames para computadores e Internet explodiu na China nos últimos anos. Em meio à preocupação crescente sobre um número cada vez maior de jovens viciados em internet, a China apresentou uma série de medidas para reprimir o uso de videogames por períodos excessivos em cibercafés e autoridades têm multado fortemente os proprietários que permitem a entrada de menores.

Agencia Estado,

17 Janeiro 2007 | 17h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.