China volta a exigir requerimento de filtro na internet

Bloqueio seria apenas para sites violentos ou pornográficos, mas usuários reclamam de censura a tabus do país

AP,

11 Junho 2009 | 15h17

A imprensa estatal chinesa emitiu nesta semana uma defesa sem precedentes de um software de filtro da internet recentemente requerido pelo governo, que deve ser incluído em todos os computadores vendidos no país a partir do próximo mês, o que gerou críticas por parte da imprensa internacional.   Apesar de o governo ter dito que o programa tem como objetivo bloquear apenas violência e pornografia, os usuários que o têm dizem que o software impede o acesso a uma ampla variedade de assuntos, desde discussões sobre homossexualidade a imagens de personagens da ficção, como o gato Garfield.   As autoridades chinesas raramente sentem a necessidade de justificar seus estritos controles da internet, e geralmente bloqueiam textos contrários às posições do Partido Comunista sobre reforma democrática, liberdade religiosa e políticas em relação ao Tibete. Mas ante a avalanche de críticas, a emissora estatal de TV CCTT disse em seu telejornal que "um grande número de pais e especialistas" haviam respaldado o software de filtro, chamado Green Dam-Youth Escort.   O diário do Partido Comunista, Guangming Daily, puclicou um texto quase idêntico, e elogiou o programa, dizendo que é um grande avanço no esforço por um "manejo civilizado do acesso à internet"   O governo disse aos fabricantes de computadores que o programa deve ser instalado no disco rígido da máquina ou incluído em um CD. Os produtores de Pcs deverão informar quantas máquinas terão sido ventidas com o advento, que é produzido por uma empresa chinesa com contrato governamental.

Mais conteúdo sobre:
China internet censura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.