Churrasco? Não. É barbecue Medalhista de peito (e de costela)

No topo do ranking das tradicionais competições norte-americanas de churrasco, Rob Rub esteve no Brasil para palpitar nos assados do BOS BBQ, casa que pretende apresentar aos paulistanos o barbecue à moda texana

PATRÍCIA FERRAZ, O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2012 | 07h53

Ele está sempre entre os primeiros no ranking do circuito nacional de barbecue, nos EUA, que tem 7.500 competidores ativos. Rob Rub é um pitmaster, um mestre do churrasco de estilo americano. Desde 2006, nenhum outro churrasqueiro venceu mais provas que ele nas categorias costela e peito. Sua costela desbancou os adversários em 22 provas e o peito, em outras 20.

Rob Rub participa de uma média de 30 campeonatos por ano. Quando não está competindo (ou dando aula para crianças portadoras de deficiência, sua profissão), prepara outros competidores ou dá consultorias, como a que o trouxe a São Paulo para treinar a equipe do BOS BBQ (leia ao lado).

Já viajou mais de 60 mil milhas pelos Estados Unidos, sempre sozinho, ouvindo Nirvana ou Foo Fighters. Dirige sua van vermelha, com o nome da equipe - Swamp Boys - estampado, e o trailer onde está o pit, engatado. Carrega a madeira de noz-pecã cuja fumaça perfuma o assado; e as carnes que compra no açougue em Winter Haven, na Flórida, onde mora. Chega ao local do concurso (geralmente um parque ou campo no sul do país) sexta-feira à tarde, esfrega as carnes com o tempero (o rub, que lhe rendeu o apelido) e se junta aos amigos para tomar cerveja. A prova é aos sábados, em quatro baterias: frango, costela, porco e peito, assados lentamente.

O BOS BBQ vai servir aos paulistanos o barbecue, o churrasco de estilo americano. As carnes são assadas lentamente num pit - um forno a gás acoplado a uma câmara abastecida a lenha. Sem fogo direto e com toque de fumaça. O equipamento foi feito sob medida, inspirado em modelos usados no Texas, por onde andaram os três sócios, os brasileiros Gustavo Bottino e André de Luca e o texano Blake Watkins.

As carnes são esfregadas com temperos e marinadas antes de assar em temperatura entre 100°C e 120°C. O preparo é lento - a carne suína do pulled pork sandwich passa 14 horas no pit. Sai desmanchando. O brisket (peito bovino), a costelinha e o peito de peru levam 4 horas para ficar prontos.

Tudo é feito conforme os mandamentos de Rob Rub - bem, quase tudo, ele não deu palpite nas saladas, no mac&cheese (foram testadas 23 receitas) e na torta de chocolate (receita da mãe de Blake). Ah, também não fez o milk-shake de creme com bourbon. O restaurante será inaugurado sábado.

ONDE

RUA PEDROSO ALVARENGA, 559, ITAIM BIBI 3078-4896

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.