Chuvas deixam 2.484 desalojados no Rio, diz Defesa Civil

Número pode ser ainda maior, já que cidade de Santo Antônio de Pádua não terminou contabilização

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2008 | 19h24

As chuvas que atingem o Rio nos últimos três dias deixaram pelo menos 2.484 desalojados e 173 desabrigados no norte e noroeste do Estado. O número de vítimas das chuvas pode ser ainda maior porque o município de Santo Antônio de Pádua não havia terminado de contabilizar o número de desabrigados e desalojados até a noite desta quinta-feira, 18. Segundo a prefeitura, duas pessoas estavam desaparecidas até esta e havia bairros nos quais a água da chuva atingia o segundo andar das casas. No Estado, mais de 14 mil pessoas foram afetadas.   Veja também: Tudo sobre as vítimas das chuvas       A maioria das vítimas contabilizada pela Defesa Civil Estadual é moradora da cidade de Lage do Muriaé, onde o Rio Muriaé transbordou, inundando casas e ruas. Lá os alagamentos afetaram 8.500 moradores, mas nem todos tiveram que sair de casa. Em todo o Estado, neste momento, os municípios mais afetados pelas chuvas são Santo Antônio de Pádua, Itaperuna, Cardoso Moreira, Natividade (onde há risco de deslizamentos), Itaocara e Cambuci, onde foram registradas inundações.   Em Itaperuna, o Hospital São José do Avaí precisou remanejar ambulatórios para andares superiores, por causa da água que invadiu o térreo do edifício. A água da enchente também é proveniente da cheia do rio Muriaé. Por enquanto, não há municípios no Estado em situação de emergência. A previsão de chuva, de acordo com o Instituto de Meteorologia continua até domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.