Cidade chinesa promete pagar US$ 0,07 por mosca capturada

Segundo a mídia estatal, a localidade de Louyang luta para conquistar o título nacional de Cidade Higiênica

Paulo Vicentini, da Agência Estado

10 Julho 2007 | 17h17

Está aberta a temporada de caça às moscas no município de Louyang, na província chinesa de Henan. Seus administradores estão oferecendo um prêmio de sete centavos de dólar para cada mosca entregue às autoridades sanitárias de seus distritos regionais. "Estamos procurando limpar a nossa imagem, ao mesmo tempo em que promovemos a higiene pública", garantem as lideranças locais. O distrito de Xigong, por exemplo, pagou US$ 125 por 2.000 moscas entregues no dia primeiro de julho, durante o lançamento da "Grande campanha municipal contra as moscas e os mosquitos". "Acreditamos que esta é a melhor maneira de induzirmos as pessoas a cuidarem mais de seu entorno", declarou Hu Guisheng, diretor do escritório administrativo do distrito, ao justificar a inusitada iniciativa em Louyang, um município com 1,55 milhão de habitantes. Segundo a mídia estatal, a localidade luta para conquistar o título nacional de "Cidade Higiênica", recompensa habitualmente concedida aos municípios que cumprirem os dez critérios estabelecidos pelo governo central chinês em 2005, com destaque para as medidas de prevenção e gestão de agentes transmissores de enfermidades. "Eles (os critérios) exigem que as cidades controlem de forma efetiva a proliferação de ratos, moscas e mosquitos, entre outros agentes", afirmou a imprensa local. A iniciativa, entretanto, também atraiu pesadas críticas. Para muitos, tudo não passa de um golpe de marketing, com "pífios resultados" e "desperdício de dinheiro público". "Se trata de chamar a atenção? Bem, que mal há nisso? O dinheiro está sendo adequadamente empregado", reagiu Hu, sem revelar o destino que concederá às milhares de moscas atualmente empilhadas nas instalações sanitárias da cidade.

Mais conteúdo sobre:
china moscas higiene

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.