Clássico restaurante de Miami Beach tem novo chef no comando

Clássico restaurante de Miami Beach tem novo chef no comando

Até o fim de setembro, o The Forge, como outros da cidade, oferece cardápios especiais com preço fixo de US$ 39 no jantar

Chris Delboni, Com Liliana Pinelli

19 Setembro 2014 | 09h47

Um dos grandes ícones gastronômicos de Miami continua se reinventando, se modernizando, sem perder a tradição.  A novidade agora no The Forge é o chef Christopher Lee, que assumiu este ano a cozinha de um dos mais antigos restaurantes na região de Miami Beach.

Está imperdível!  E agora é o momento de conhecer, provar ou voltar para saborear e desfrutar da culinária e ambiente mágico do The Forge.

Até o fim de setembro, o estabelecimento participa do programa “Miami Spice”,  quando vários restaurantes da cidade oferecem cardápios especiais com preço fixo de US$ 39 no jantar, que normalmente inclui uma entrada, prato principal e sobremesa.

Se preferir os pratos do cardápio clássico, a refeição vai sair, no mínimo, de duas a três vezes mais. Mas vale cada centavo, tanto pela gastronomia como pela experiência do local, com uma decoração imponente, lustres luxuosos, em um ambiente extremamente elegante e ao mesmo tempo amável e aconchegante.

De entrada, as vieiras são uma ótima escolha, assim como foie gras e a sopa de cebola. Tem também um risoto de lagosta como entrada, que é de comer rezando. Pode pedir para compartir ou, se preferir, duas porções como prato principal.

As saladas são fresquíssimas e o molho da ceasar “Forge Style” é feito na casa, o que não é tão comum como parece. 

Entre os carnívoros, o filet mignon com osso (US$ 55) é  muito famoso.  De fato, o restaurante é reconhecido pela revista Wine Spectator como “Best Steak in America” (“Melhor Steak da América”).

Como em muitas “steakhouses” nos Estados Unidos, os complementos são à parte.  O filet pode vir com ovo e bacon, foie gras e trufas, lagosta, camarão ou blue cheese, por exemplo. Além disso, há opções de molhos e manteigas especiais, como mostarda, trufas pretas e béarnaise.  De acompanhamento, o creme de espinafre é delicioso, assim como todas as batatas: hash brown, purê, fritas com trufas ou gratinada.  O forte da casa é o steak, mas tem também muitas outras opções, inclusive deliciosos frutos do mar.

Agora, não se espante quando o garçom logo no início da refeição perguntar sobre a sobremesa.  Não é para apressar. Pelo contrário, os jantares no The Forge são uma degustação.  É que a casa é famosa pelo “The Forge Souffle´ - um dos sabores favoritos é o Grand Marnier.  Mas, como a iguaria demora para ficar pronta, o pedido precisa ser feito junto com a entrada.

Mas a fama do restaurante vem mesmo de sua adega.  Não deixe de pedir para visitar.  São 25 mil garrafas. A mais cara é um Chateau Lafite Rothschild, safra 1822, por US$ 165.000.  A carta de vinhos tem 51 páginas, com cerca de 700 opções, 80 delas por taça.  Não se assuste que tem para todos os gostos e bolsos.

Numa próxima vinda a Miami, vale uma visita nem que só para tomar um vinho no bar, que fez parte de uma completa reforma e renovação em 2010, no valor de US$ 10 milhões.

No “wine bar”,  você pode escolher não só a qualidade do vinho mas o tamanho da taça, ou melhor, a quantidade: 1, 3 ou 5 onças - para degustação ou uma taça cheia.  São 10 estações ao redor do bar, começando pelos vinhos favoritos do dono, Shareef Malnik, que vão de um Malbec a um Sauvignon blanc de Napa Valley.  

Sem dúvida nenhuma, o The Forge sempre foi - e continua sendo - um local para ver e ser visto em Miami.  Talvez seja o único ícone gastronômico da cidade que nunca deixou de fazer parte da história da gastronomia de Miami.  Foi sempre se renovando, se reinventando, mas sempre com a mesma classe e pompa - e até hoje não tem uma placa na rua para identificar o endereço, que era nos anos 20 uma oficina de ferreiro, ou “forge” em inglês, daí o nome.

O primeiro dono do imóvel foi o artesão Dino Phillips, que abriu lá sua oficina, onde criava portões de ferro e esculturas para os residentes mais ricos da cidade. Nos anos 30, ele transformou o estabelecimento num restaurante e cassino e já contava com a presença de grandes nomes da época, como Frank Sinatra, Judy Garland e  Jackie Gleason.  Passou alguns anos sem muito movimento até o final de 60, quando foi comprado por Alvin Malnik, pai de Shareef, que trouxe de volta os frequentadores da fase áurea de Miami, como Sinatra e Elizabeth Taylor.  E desde então, cada década, The Forge tem novidades.  

Em 1983, o Baron Philippe Rothschild doou para Malnik sua coleção de garrafas do século anterior; em 1991, quando Shareef assumiu o comando, ele incorporou uma nova clientela atraindo o “new money” de South Beach, abrindo um espaço de lounge; no século 21, a lista de celebridades continuou, entre eles, Michael Jackson, Madonna, Al Pacino, Bill Clinton e muitos outros; e, em 2010, veio a grande reforma, que na época gerou rumores de que o restaurante não abriria mais, mas pelo contrário, o The Forge só rejuvenesceu, ganhou charme, sem perder o requinte.

Imperdível!

Twitter @chrisdelboni

Serviço:

The Forge

Endereço: 432 W. Forty-First Street, Miami Beach, Florida 33140 (Cuidado para não passar reto.  Lembre que não tem placa na porta.)

Horário: Abre às 18h diariamente.

Reserva: (305) 538-8533 ou http://theforge.com/reservations.html.

Para maiores informações, visite: http://theforge.com.

Manobrista: US$ 10

Mais conteúdo sobre:
Direto de Miami Chris Delboni

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.