1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Clima é de otimismo na concentração da Mangueira

ROBERTA PENNAFORT - Agência Estado

03 Março 2014 | 00h 57

O clima é de muito otimismo na concentração da Mangueira, como não se vê há muitos carnavais. Campeã pela última vez em 2002, a Verde-e-rosa tem a carnavalesca Rosa Magalhães, atual campeã, e o premiado coreógrafo Carlinhos de Jesus de volta à sua comissão de frente.

A Mangueira tem novo presidente, Chiquinho da Mangueira, desde maio de 2013. Ele tenta sanar R$ 11 milhões de dívidas, deixadas pelas duas gestões passadas. Confiando na alcunha de "a mais querida", lançou há dois meses a campanha Patrocinador Apaixonado para conseguir doações - e arrecadou R$ 200 mil.

O investimento final no desfile ficou em R$ 8,5 milhões, bem menos do que gastaram escolas como Beija-Flor, Unidos da Tijuca e Grande Rio (cerca de R$ 15 milhões cada)."A gente tira da cartola o que não tem na carteira. Comprei muita coisa no Saara (mercado popular). A Mangueira está no meu DNA", disse Carlinhos. "Não viemos participar, e sim disputar o título. A Rosa, o Carlinhos e todo mundo que contribuiu estão acreditando na gente", afirmou Chiquinho.