Começa a safra de uva na região de Campinas

Em Louveira, Jundiaí e Vinhedo viticultores têm aproveitado [br]os bons preços do início da colheita

Fábio Marin, O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2008 | 04h19

A semana foi marcada por forte calor e chuva localizada na maior parte do Estado. A temperatura máxima chegou a 34 graus em Barretos, Ilha Solteira, Presidente Prudente e Votuporanga e a mínima oscilou entre 17 e 19 graus. Apenas em Campinas e Guaratinguetá a chuva foi suficiente para atender à demanda hídrica das lavouras e elevar a umidade. Nas demais localidades houve deficiência e leve queda no armazenamento hídrico do solo. Além da redução no volume de chuva, a elevada taxa de evapotranspiração - 4 milímetros por dia - contribuiu para a redução da umidade do solo. Com isso, o armazenamento hídrico médio do Estado está em torno de 60% da capacidade máxima de retenção, condição favorável à agropecuária. Apenas em Barretos, Jaboticabal e Piracicaba a umidade do solo está em níveis desfavoráveis, com reservas abaixo de 20% e dificuldade para a semeadura do amendoim das águas e da soja, e redução da taxa de crescimento das pastagens. Nas demais localidades, a condição ainda é favorável à agricultura e à pecuária, sem perdas registradas até o momento. Há, contudo, risco de perda caso a chuva não volte nos próximos sete dias em Franca, Ilha Solteira e Jaú, onde a umidade caiu para 40% da capacidade máxima de armazenamento. BANANA Prosseguiu com alta eficiência a colheita da banana em Iguape e Registro; a extração do látex em Votuporanga e Monte Aprazível, além do fim da colheita da cana-de-açúcar nas áreas mais tardias. Os pequenos volumes de chuva permitiram que os produtores de uva realizassem as operações de manejo com mais eficiência. Em Jales, boa parte dos produtores já finalizou a colheita, iniciando a poda para condução das plantas até a próxima safra. Em Vinhedo, Louveira e Jundiaí parte dos viticultores já iniciou a colheita, buscando aproveitar os maiores preços do início da safra. Novembro terminou com chuvas bem distribuídas, mas em volume inferior aos registros históricos na maioria das localidades. Este ano o volume acumulado de chuva ficou em 60% do total esperado para o mês. Em Piracicaba, Jaú e Jaboticabal foram observados os menores volumes em comparação com as médias históricas; em Campinas, Iguape e Guaratinguetá os volumes superaram o esperado para o mês. *Fábio Marin é pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária. Para mais informações sobre tempo e clima, acesse www.agritempo.gov.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.