Comércio eletrônico deve crescer 45% no País

O comércio eletrônico deve aquecer as vendas do varejo em 2007. De acordo com a empresa de pesquisa e marketing online E-bit, em 2006 o setor teve um crescimento de aproximadamente 76%, totalizando um faturamento de aproximadamente R$ 4,4 bilhões. Para este ano as perspectivas são de que as compras online aumentem 45%, atingindo a marca de R$ 6,4 bilhões. A grande estrela do setor, com 40% de participação no segmento, é a B2W, junção entre as lojas de e-commerce Americanas.Com e Submarino, atualmente a terceira maior empresa de comércio eletrônico do mundo. As vendas no varejo eletrônico também estão impulsionando o segmento de courier privado, mas também estão impulsionando as operações dos Correios, que também tem investido em divulgar e estimular o comércio eletrônico. Entre as empresas de logística ligadas ao e-commerce que estão investindo na ampliação de operações, a Direct Express contabilizou 5 milhões de entregas em 2006 e faturamento de R$ 40 milhões de reais. ?Depois de uma década o comércio eletrônico começa a atingir sua maturidade, e com ele a logística de entregas expressas?, destaca o diretor da Direct, Luiz Henrique Nascimento. Para atender a demanda projetada para este ano, a Direct investiu na aquisição de uma nova frota de 350 veículos e deve inaugurar até o final do trimestre três novos centros de operações no Estado de São Paulo.

Agencia Estado,

31 Janeiro 2007 | 14h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.