Conheça o Touch 3G, próximo lançamento da HTC no Brasil

Novo modelo de smartphone está mais leve e bonito que o antecessor

Filipe Serrano, de O Estado de S. Paulo,

03 Junho 2009 | 00h00

Lançado em novembro do ano passado, a HTC trará o smartphone Touch 3G ao Brasil nos próximos meses. O Link já pôde testar o novo modelo, que está menor, mais leve, mais bonito do que o antecessor, HTC Touch, e agora conta com conexão 3G HSDPA.   Como diz o nome (Touch), praticamente todos os comandos do celular são controlados com os dedos, na tela sensível ao toque. A sensibilidade está bastante suave e precisa, reconhecendo muito bem os movimentos do dedo, até quando se "arrasta" levemente a tela ao navegar por mapas, sites, etc.   A tela inicial do Touch 3D utiliza o tema TouchFLO 3D, que substitui a aparência tradicional do Windows Mobile 6.1 - o sistema incluído no celular. Usando essa interface, basta arrastar o dedo por uma barra horizontal que contém os ícones das principais funções do celular (contatos, mensagens, e-mail, internet, fotos e vídeos, música, tempo, pesquisa no mapa, configurações e programas, além da tela inicial, que se chama Home).   Essa aparência é usada nos celulares de toque da HTC desde o ano passado, quando foi lançado o HTC Touch Diamond, também a venda no Brasil. Mesmo com a interface mais amigável, algumas funções são difíceis de controlar.   O teclado, por exemplo, tem teclas pequenas quando usado no padrão completo (QWERTY), o mesmo do computador. E acertar o horário do alarme é uma tortura de tão pequenas que são as setinhas para aumentar ou diminuir a hora. São dificuldades que chegam a irritar. O celular também não faz nenhuma vibração ao tocar na tela. Apenas reproduz um som.   A falta de resposta tátil prejudica a experiência com a tela de toque. O Touch 3G aposta suas forças na internet móvel, de fato o maior ponto forte do aparelho. Além de conexão 3G, ele acessa redes sem fio (Wi-Fi) para se conectar e já vem com diversos programinhas instalados que utilizam a conexão de dados. É possível entrar diretamente no Facebook, no Flickr e no buscador do Google em atalhos na tela.   Também há um aplicativo especial para entrar no YouTube e assistir aos vídeos, que são exibidos na horizontal, com tela cheia. Para quem gosta de ler notícias, há um leitor de canais RSS. E na tela inicial, é possível ver a previsão do tempo, atualizada pela internet. O Google Maps também já vem instalado e, assim como no iPhone, os comandos são completamente adaptados para a tela de toque. Um atalho na tela inicial permite que você faça buscas nos mapas antes mesmo de abrir o programa. O Touch 3G ainda conta com um GPS interno, que funciona para encontrar a posição no Google Maps.   Apesar de o sistema ter o navegador Internet Explorer, a HTC preferiu incluir o Opera como navegador padrão. O programinha adequa melhor as páginas da web à tela do aparelho (de 2,8 polegadas) e é compatível com os comandos do dedo.   PONTOS FRACOS   A experiência com o teclado é um dos principais problemas do Touch 3G. A HTC tentou amenizar criando uma própria versão dos botões, em vez de utilizar o teclado padrão do Windows Mobile, que é ainda menor. No modelo da HTC, há opções para usar o teclado completo, compacto (com duas letras por tecla) ou o numérico (o padrão tradicional dos celulares), mas ainda assim a experiência é comprometida pela falta de espaço na tela. Outros fabricantes costumam solucionar isso virando a tela na horizontal, a partir de um sensor de movimento.   Mas no Touch 3G, isso não acontece porque ele não conta com acelerômetro. O aparelho inclui uma caneta stylus, o que facilita a digitação, mas perde toda a graça da tela de toque. Outro problema é a falta de espaço de armazenamento. São apenas 256 megabytes (MB) de memória interna, ou seja, é extremamente necessário usar um cartão de memória para ganhar um espaço extra e guardar arquivos pesados, como fotos e músicas.   Ainda faz falta uma entrada padrão para o fone de ouvido. Se quiser escutar música, por exemplo, é preciso utilizar o fone padrão da HTC, que vem incluído. O controle de volume do celular também é fraco, tem apenas cinco níveis. E o alto falante fica em uma pequena abertura atrás do aparelho e, se tampada por qualquer superfície, é difícil escutar o toque do telefone de longe. Também não espere muito da câmera fotográfica. Apesar de ter uma resolução de 3.2 megapixels, ela tem uma fraca sensibilidade à luz e as imagens saem escuras e tremidas à noite. Durante o dia, à luz ambiente, o resultado é melhor.   TOUCHFLO 3D   A interface da HTC mantém os mesmos recursos que já tinha em outros modelos. Todos os menus são controlados facilmente com os dedos. Na tela inicial, você vê o relógio e têm atalhos para o alarme, o histórico de chamadas, o calendário, além do teclado para telefonar. Em seguida vem o menu de contatos, onde você pode incluir ícones com fotos dos números favoritos para os quais disca mais. A próxima é a tela de mensagens, que permite ler os SMS recebidos com o arrastar dos dedos. A mesma coisa vale para o menu dos e-mails. A diferença é que o texto é exibido dentro de uma imagem de um envelope.   Outros dois menus da tela inicial bastante úteis são o de configurações e de programas. No primeiro, você altera níveis de som, o papel de parede e pode ligar ou desligar o Bluetooth, o Wi-Fi, conexão de dados e até seleciona o modo avião. Já no segundo, você cria atalhos para os seus programas favoritos.   DISPONIBILIDADE O fabricante de Taiwan faz mistério sobre quando o Touch 3G estará à venda e o seu preço. Ele deve chegar nos próximos meses, já que a empresa diz que terá mais detalhes sobre a data daqui a um mês.   Sobre o preço, a HTC por enquanto afirma uma estimativa de US$ 499 (cerca de R$ 1.000), o que é bem abaixo do preço médio de um smartphone do tipo.     FICHA TÉCNICA:   HTC Touch 3G Preço: US$ 499 (estimativa) Disponibilidade: Ainda não divulgada   Prós - Boa interface com boa sensibilidade de toque - Vem com tocador do YouTube, Google Maps (funciona bem com a tela de toque), leitor RSS, Messenger e atalhos para acessar Facebook, Flickr e Google - GPS - Menu de configurações com atalho para ligar e desligar Wi-Fi, Bluetooth, etc. - Boa duração da bateria   Contras - Não tem acelerômetro - Não tem entrada padrão de fone de ouvido - Pouca memória interna (256 MB) - Alguns recursos não funcionam bem com os comandos de toque (teclado, alarme) - Só cinco níveis de volume - Alto-falante atrás do aparelho - Câmera fraca   Especificações - Processador: Qualcomm® MSM7225™, 528 MHz - Sistema: Windows Mobile 6.1 Professional - Memória: 256 MB (ROM) e 192MB (RAM) - Dimensões: 102 mm X 53,6 mm X 14,5 mm - Peso: 96 gramas - Display: 2,8 polegadas TFT-LCD touchscreen com resolução QVGA - Rede: HSDPA/WCDMA; Quad-band GSM/GPRS/EDGE - GPS: Sim - Conectividade: Bluetooth 2.0, Wi-Fi IEEE 802.11 b/g, HTC ExtUSB (mini-USB 2.0) - Câmera: 3,2 megapixels - Bateria: Lítio-íon; 1100 mAh - Slot de expansão: microSD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.