Conselho da Apple não aprovou gratificação de Jobs

A Apple Computer deu ao presidente-executivo, Steve Jobs, 7,5 milhões de opções de ações em 2001 sem a necessária autorização do conselho da companhia, informou o Financial Times nesta quinta-feira. Registros para mostrar que foi feita uma reunião do conselho para aprovar a remuneração foram falsificados, segundo o FT, que citou pessoas próximas à questão. O jornal disse que os registros foram revisados pelo órgão regulador do mercado de capitais, à medida que decidia se iniciava um inquérito contra a Apple ou algum indivíduo. Um porta-voz da empresa recusou-se a comentar a reportagem. As ações da Apple caíram 6% na quarta-feira por conta de informações de que promotores investigavam documentos "aparentemente falsificados" de opções de ações. A Apple é uma das mais de 160 companhias que estão sob investigação federal ou que lançaram seus próprios procedimentos para verificar se houve manipulação de datas de opções para beneficiar executivos.

Agencia Estado,

28 Dezembro 2006 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.